A CSN (CSNA3), afirmou na quarta-feira, 9 de junho, que existem tratativas para aquisição de uma fabricante de cimentos. Segundo informações divulgadas anteriormente pelo Valor Econômico, a CSN estaria negociando, de forma avançada, a compra de uma cimenteira do Grupo Elizabeth - atualmente controlado pelo fundo Farallon Capital.

Conforme apurou o Valor Econômico, a negociação pode chegar a US$ 250 milhões pela fabricante de cimentos do Grupo Elizabeth, sendo então um ativo de mais de um bilhão de reais. Desta forma, se concluída, a CSN deve aumentar sua operação de cimento ainda mais, visto que a companhia já possui atualmente a subsidiária CSN Cimentos.

Esta significativa decisão, lidearada por Benjamin Steinbruch, o diretor-executivo da CSN, aparece pouco tempo depois da abertura de capital (IPO) da CSN Mineração, que também é controlada pelo grupo e está listada na bolsa de valores brasileira com a ação CMIN3.

CSN confirma que existe negociação em anadamento

Apesar de não dar detalhes sobre a aquisição da cimenteira do Grupo Elizabeth, a CSN confirmou em 9 de junho, após o levantamento feito pela imprensa, que realmente existem "tratativas" acontecendo para que uma compra de empresa de cimento aconteça, de forma que não há documento que ateste isso, por enquanto.

"A Companhia Siderúrgica Nacional (CSN), informa aos seus acionistas e ao mercado em geral, em decorrência de notícia veiculada na mídia a respeito de eventual aquisição de fábrica de cimento, que existem tratativas a respeito, sem que haja, até o momento, documento vinculante acerca de tal aquisição. A Companhia manterá o mercado informado sobre eventuais desdobramentos desse assunto", disse a CSN por meio de um comunicado divulgado ao mercado, assinado por Marcelo Cunha Ribeiro, o diretor-executivo de finanças e relações com investidores da companhia.

CSN Cimentos protocola pedido de IPO

A CSN já tem exposição direta ao mercado de cimento, isso pela subsidiária CSN Cimentos que, inclusive, protocolou pedido de registro de oferta pública inicial de ações (IPO, na sigla em inglês) em maio deste ano, sendo um explícito conjunto de ações do grupo para a abertura de capital de suas empresas controladas.

Sem muitos detalhes, visto que a operação ainda está em andamento e análise na Comissão de Valores Mobiliários (CVM), a CSN anunciou que o IPO de sua empresa de cimentos será de distribuição primária de ações ordinárias. Desta forma, todos os recursos levantados serão destinados ao caixa da CSN Cimentos, como regra, esta que poderá usá-los para seu desenvolvimento e expansão.

Caso o IPO seja realizado conforme o planejado, será a segunda empresa do Grupo CSN (CSNA3) a abrir capital no Brasil em 2021.

- Veja o documento divulgado na íntegra.