A Raia Drogasil, listada na bolsa brasileira com o código RADL3, informou ao mercado que projeta a abertura de 480 lojas entre 2021 e 2022, com lançamento previsto de 240 novas unidades em cada ano. Essa informação foi divulgada na terça-feira, 29 de setembro, por meio de fato relevante do RI da empresa.

Conforme o documento divulgado, os planos foram traçados por meio de análise das experiências que a empresa já teve, mas também levando em consideração as expectativas baseadas na estratégia de expansão, na capacidade da farmacêutica em suportar investimentos, no fato de o negócio ser composto por pontos comercias atraentes e promissores, dentre outras variáveis.

"Vale ressaltar que as projeções são estimativas, e que não constituem promessa de desempenho, de modo que poderão ser revistas (positiva ou negativamente)", ponderou a empresa.

Após o anúncio, os papeis de RADL3 subiram quase 7%, e fecharam o dia 30 de setembro cotadas a R$ 23,42, lembrando que recentemente a Raia Drogasil promoveu desdobramento de ações na ordem de 1 para 5, visando melhorar a liquidez dos papeis, negociandos até então acima de R$ 110.

- Veja o documento divulgado na íntegra

Fundada em 2011, atualmente, a Raia Drogasil ultrapassou o patamar de mais de 2.100 lojas, que estão espalhadas em 23 estados brasileiros, com produtos focados na saúde e no bem-estar. A empresa vem do segundo trimestre de 2020 com lucro líquido de R$ 61,688 milhões.

Raia Drogasil e investimento em energia sustentável

Conforme o relatório de sustentabilidade divulgado pela empresa, 117 lojas já contavam com acesso à energia fotovoltaica e de pequenas centrais hidrelétricas em 2019. Para 2020, a meta de lojas com energia renovável é chegar a 1.700.

"A partir de 2021, aproximadamente 77% da rede de lojas será atendida por usinas de geração distribuída de energia elétrica. Todas com geração de energia a partir de fontes renováveis", diz a empresa.

A estratégia da Raia Drogasil em diminuir o consumo de energia elétrica começou em 2014. No ano passado, em 2019, a empresa aderiu aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU, dentre eles está a tentativa de aumentar "substancialmente a participação de energias renováveis na matriz global".