A 3ª parcela do Auxílio Emergencial já tem um cronograma de pagamentos. Os mais de 40 milhões de beneficiários em todo o país, terão acesso aos valores a partir da segunda metade do mês de junho. O calendário segue até o dia 21 de julho.

Assim como nas parcelas anteriores, o pagamento será feito de acordo com a data de nascimento. Portanto, os primeiros a receber serão os nascidos em janeiro, seguidos pelos aniversariantes de fevereiro e assim por diante.

O calendário também segue dividido em duas etapas:

- Num primeiro momento acontece a liberação do valor apenas para uso digital, ou seja, para pagar contas e boletos pelo app Caixa Tem, usar o cartão de débito virtual ou o QR Code para compras e transferir por Pix para contas de outras pessoas;

- Num segundo momento acontece a liberação para saques e transferências para outras contas do beneficiário: é possível sacar o dinheiro em espécie ou transferir para alguma conta em seu nome de outra instituição usando TED ou DOC, sem custos - a Caixa não libera o Pix neste caso.

A rodada de 2021 do Auxílio começou a ser paga em abril e teve sua segunda parcela paga ao longo do mês de maio.

Veja o cronograma da 3ª parcela:

Mês de nascimento Data de crédito em conta Data de liberação do saque
Janeiro 20 de junho de 2021 13 de julho de 2021
Fevereiro 23 de junho de 2021 15 de julho de 2021
Março 25 de junho de 2021 16 de julho de 2021
Abril 27 de junho de 2021 20 de julho de 2021
Maio 30 de junho de 2021 22 de julho de 2021
Junho 04 de julho de 2021 27 de julho de 2021
Julho 06 de julho de 2021 29 de julho de 2021
Agosto 09 de julho de 2021 30 de julho de 2021
Setembro 11 de julho de 2021 04 de agosto de 2021
Outubro 14 de julho de 2021 06 de agosto de 2021
Novembro 18 de julho de 2021 10 de agosto de 2021
Dezembro 21 de julho de 2021 12 de agosto de 2021

Bolsa Família

Para quem recebe o Bolsa Família, o calendário da terceira parcela do Auxílio Emergencial 2021 segue o cronograma normal do programa - de acordo com o número do NIS do beneficiário. Neste caso, o dinheiro já pode ser sacado no dia em que cai na conta.

Veja abaixo o cronograma:

Dígito final do NIS Data de pagamento
1 17 de junho de 2021
2 18 de junho de 2021
3 21 de junho de 2021
4 22 de junho de 2021
5 23 de junho de 2021
6 24 de junho de 2021
7 25 de junho de 2021
8 28 de junho de 2021
9 29 de junho de 2021
0 30 de junho de 2021

Quem tem direito a receber?

Têm direito a receber os valores dessa rodada do benefício, todos os trabalhadores informais, inscritos no CadÚnico e beneficiários do Bolsa Família que já recebiam o auxílio emergencial de R$ 600 ou a extensão do auxílio emergencial de R$ 300 em dezembro de 2020.

O beneficiário também deve cumprir as seguintes regras:

  • ter mais de 18 anos (exceto no caso de mães adolescentes de 12 a 17 anos com pelo menos um filho);
  • não ter carteira assinada (vínculo formal ativo);
  • não receber benefício previdenciário, assistencial, trabalhista ou programa de transferência de renda federal, com exceção do Bolsa Família e do abono salarial do PIS/Pasep;
  • não ter renda familiar mensal per capita (renda total dividida pelo número de membros de uma família) acima de meio salário mínimo;
  • não ser membro de família com renda mensal total acima de três salários mínimos;
  • não morar no exterior;
  • não ter recebido, em 2019, rendimentos tributáveis (como salário e aposentadoria) acima de R$ 28.559,70;
  • não possuir patrimônio superior a R$ 300 mil em 31 de dezembro de 2019;
  • não ter recebido rendimentos isentos, não tributáveis ou tributados exclusivamente na fonte, acima de R$ 40 mil em 2019;
  • não estar preso em regime fechado nem receber auxílio-reclusão;
  • não ter sido incluído, em 2019, como dependente na declaração do Imposto de Renda na condição de cônjuge, filho ou enteado de até 21 anos (caso geral) ou até 24 anos (matriculado em instituição de ensino superior ou de ensino técnico médio, ou companheiro com o qual o contribuinte tenha filho ou com o qual conviva há mais de cinco anos;
  • não ter indicativo de óbito no Sistema Nacional de Informações de Registro Civil (SIRC) ou no Sistema de Controle de Óbitos (Sisobi);
  • não ter CPF vinculado, como instituidor, à concessão de pensão por morte de qualquer natureza;
  • não estar com o auxílio emergencial ou a extensão do auxílio cancelado no momento da avaliação de elegibilidade da nova rodada de 2021;
  • não ter movimentado os valores do auxílio emergencial depositados na conta poupança digital ou na conta de depósito do Bolsa Família ao longo de 2020;
  • não ser estagiário, residente médico, residente multiprofissional ou beneficiário de bolsas de estudo concedidas em nível municipal, estadual ou federal.

O valor pago varia de acordo com as características familiares do beneficiado. Para pessoa que mora sozinha são R$ 150; para mãe solteira que sustenta a família são R$ 375; e demais famílias R$ 250. Por enquanto apenas quatro parcelas foram confirmadas.