Após haver suspensão em 2020 por causa da covid-19 e novamente em 2021, mas dessa vez devido à falta de orçamento, o Censo Demográfico previsto para 2022 para contagem da população já encontra seu primeiro entrave.

No até então término, em 29 de dezembro de 2021, foi anunciada de forma oficial a prorrogação das inscrições no certame, que começaram no dia 15 do mesmo mês, para até às 16h do dia 21 de janeiro de 2022.

Com a mudança nas inscrições, todo o cronograma do processo seletivo foi alterado, inclusive o do próprio Censo o deve ser. Antes, as provas estavam previstas para 27 de março, mas agora vão ocorrer em 10 de abril. A divulgação do resultado final está prevista para 20 de maio.

- Veja aqui o novo calendário estimado para o Censo 2022, divulgado em 30 de dezembro de 2022.

Recebendo inscrições abaixo das projeções do órgão em 2021, o processo seletivo agora com a prorrogação pode finalmente chegar a um milhão de candidatos, segundo o coordenador de Recursos Humanos do IBGE, Bruno Malheiros. Até ontem (3), havia 650 mil candidatos.

O coordenador disse que a prorrogação nas inscrições é um processo normal e esperado em processos seletivos deste porte. "Há o acréscimo de ser um processo que foi aberto em um período de festas de final de ano, com a população viajando. Os alunos das universidades são um público que se interessa pelo trabalho de recenseador, e eles estão de férias neste momento. Além disso, muita gente está empregada com contratos temporários que expiram agora no final de dezembro, e vai começar a buscar novas oportunidades", disse.

O Censo atinge todos os municípios do Brasil e é realizado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), isto é um órgão do governo, sendo necessário, desta forma, a contratação de pessoal por meio de processo seletivo. Em 2022, o certame está nas mãos da Fundação Getulio Vargas (FGV).

Feito somente a cada 10 anos no Brasil, o Censo Demográfico tem como função a contagem da população, o que traz diversas informações sobre a vivência no país. Com a forte base de dados, é possível aplicar melhor recursos públicos, mas o procedimento também serve de base para outros fatores, como sendo referência para os investimentos no país pela iniciativa privada. O último foi realizado em 2010 e deveria ocorrer novamente em 2020, quando a pandemia estourou.

Censo do IBGE tem mais de 200 mil vagas de trabalho

Só para o cargo de recenseador, o profissional que realiza a contagem propriamente dita, com entrevista junto à população por meio de visitas físicas, telefone ou internet, são 183.021 vagas em todo o país. O requisito é ter nível fundamental completo.

Há também vagas no Censo para quem deseja trabalhar como agente censitário supervisor (ACS), que são 18.420 vagas, ou como agente censitário municipal (ACM) que tem 5.450 vagas em quase todos os municípios do país - ambos sendo requisitado ensino médio completo.

Para recenseador, a taxa de inscrição é de R$ 57,50, enquanto que para os demais cargos é de R$ 60,50. O salário para nível fundamental varia conforme a produção (por entrevista), já as oportunidades de nível médio possuem salários de R$ 2.100 para ACM e de R$ 1.700 para ACS. Todos os cargos são temporários.

Pessoas de baixa renda do CadÚnico podem pedir isenção da taxa

Quem quiser participar e tentar uma das vagas e for inscrito no Cadastro Único (CadÚnico) tem direito a isenção da taxa de inscrição no Censo Demográfico, valendo para todos os cargos. Para isso, basta mencionar no ato da inscrição o número do CadÚnico.

Além disso, segundo o edital do certame de provas, o candidato doador de medula óssea em entidades reconhecidas pelo Ministério da Saúde também faz jus à isenção do pagamento de inscrição no Censo. Nesse caso, essa condição deve ser apresentada durante a inscrição.

Como se inscrever

As inscrições para o Censo 2022 devem ser feitas no site da empresa organizadora do certame, ou seja, da FGV, até as 16h de 21 de janeiro nos espaços definidos.

É importante destacar que aquela inscrição para os processos seletivos de recenseador e agente censitário de 2020 e 2021 não serão válidas para o Censo 2022. Nos certames anteriores, o candidato deve solicitar o reembolso, inclusive.

Censo 2022 precisa de R$ 2,2 bilhões; e tem verba?

Após a suspensão em 2021 por causa de corte no orçamento da contagem, agora o Censo Demográfico 2022 segue sendo previsto no orçamento do governo para esse ano.

Em 13 de dezembro de 2021, o IBGE havia anunciado que precisa de R$ 2.292.907.087,00 para a realização do Censo 2022. Do total, uma fatia de R$ 2 bilhões já estava prevista no Projeto de Lei Orçamentária de 2022 (PLOA 2022)

Os outros R$ 292.907.087,00 são complementares e foram autorizados pela Secretaria Especial do Tesouro e Orçamento - e vão sair do Fundo de Garantia à Exportação, do Ministério da Economia.

Fontes: Agência IBGE Notícias, Agência Brasil, FGV.