Dia 14 de abril é o dia mundial do café. E segundo a pesquisa da AOCUBO realizada em 2019, o café tem plantios datados desde os anos de 1720, mas sua descoberta se deu há mais de mil anos, onde hoje é a região da Etiópia.

Desde então, o grão do café tem sido uma das commodities mais exportadas e consumidas em todo o mundo e com grande significado no PIB brasileiro. Devido ao seu crescimento ao longo dos anos, o café passou a fazer parte da lista de commodities negociadas através de contratos futuros na B3 (Bolsa de Valores).

Vamos ver como funciona esse ativo, como negociar, e quais são as vantagens e os riscos que existem?

O que é um contrato futuro de café?

Primeiro, é importante entender o que é o mercado futuro. Basicamente, o mercado futuro é um ambiente onde os investidores negociam os preços dos ativos através de contratos que irão vencer futuramente.

Desse modo, o contrato futuro do café entende-se como acordos de compra e venda que são negociados na data presente do valor que será pago quando houver a saca do café com a data do vencimento no futuro.

Esse ativo é negociado através do mercado de Bolsa de Mercadorias e Futuros (BM&F) da B3, e cada contrato refere-se a 100 sacas de 60 kg de grãos de café crus, com produção no Brasil e de espécie Arábica, do tipo 4-25 (4/25) ou melhor, de bebida dura ou melhor, com destino para a capital de São Paulo.

Como funciona o contrato futuro de café?

O mercado de café futuro existe como garantir o preço do produto na negociação do contrato e principalmente proteger o produtor para possíveis oscilações inesperadas de preços até a data do vencimento. Porém, muitos traders utilizam o contrato futuro do café como forma de especulação para lucros em cima das oscilações de preços dos contratos.

A liquidez do contrato futuro do café é dividida em duas formas, sendo elas física ou financeira.

  • Liquidez física: ocorre quando o investidor não finaliza a operação até a data final da negociação da série, ou seja, no sexto dia útil anterior ao último dia útil do mês de vencimento. Para entregar a mercadoria, o vendedor realiza um registro eletrônico do Aviso de Entrega no Sistema de Liquidação Física do mercado futuro da B3, o que deve acontecer entre o primeiro e o sétimo dia útil anterior ao último dia útil do mês de vencimento da série.
  • Liquidez financeira: essa liquidez financeira do contrato é referente ao recebimento da commodity e ocorre no terceiro dia útil seguinte da data do registro eletrônico do Aviso de Entrega. O valor que o comprador pagará para o vendedor será repassado através da B3 no quinto dia útil seguinte à data de registro do Aviso de Entrega.

Quais são as vantagens desse ativo?

Confira quais as principais vantagens que esse ativo pode proporcionar:

  • Costuma respeitar os pontos gráficos: isso significa que o futuro do café costuma respeitar muito os pontos gráficos, como suporte e resistências.
  • Alavancagem e investimentos: esse ponto é quando há possibilidades de alavancar seus investimentos.
  • Alta liquidez: por ser uma das commodities mais consumidas, acaba sendo a mais negociada no mundo todo. Com isso, diminui as chances do investidor não ter negociações.
  • Forte volatilidade: com o mercado volátil, permite-se que várias opções de entrada e saída para o investidor ocorra, principalmente para Day Trade.

Quais são os riscos envolvidos na operação do contrato futuro do café?

Primeiro, devemos lembrar que o contrato futuro do café é negociado como renda variável no mercado financeiro, portanto, ele está exposto às variações que o mercado apresenta. Dessa forma, é impossível saber ao certo quanto irá render ou se haverá algum tipo de lucro.