A procura por crédito no Brasil aumentou 24,5% entre o mês de agosto de 2021 em relação ao mesmo período de 2020. De acordo com os dados do Serasa Experian, o destaque foi para os clientes com renda de até R$ 500 por mês (35,5% do total), público este, que costuma ter dificuldade para conseguir empréstimos pessoais.

Diante da alta demanda por crédito, e dessa parcela dos consumidores com dificuldade de acessar o crédito, algumas empresas criaram linhas de microcrédito especial. Em suma, as instituições disponibilizam um empréstimo que tem como garantia, o aparelho celular. Confira os detalhes a seguir.

Empréstimo de até R$ 2,5 mil com o celular como garantia

De acordo com Antonio Brito, CEO da SuperSim,

“Percebemos uma lacuna muito grande de produto de crédito para o perfil de cliente que a gente tinha: que ganha um ou dois salários mínimos, 35% a 40% de trabalhadores informais, 45% da base negativada. Mas sabemos que há mais smartphones do que pessoas no Brasil atualmente. Então entendemos que aceitar o celular como garantia permitiria crescer essa taxa de aprovação de crédito, sendo muitas vezes uma porta de entrada para o cliente que só tem esse bem para fazer sua recuperação financeira”.

Em suma, o valor máximo do empréstimo costuma ser de até R$ 2,5 mil, e tem uma contratação 100% digital e em poucos minutos. Cerca de 80% dos aparelhos Android são aceitos como garantia, uma modalidade que oferta uma importante redução nas taxas de juros, que seriam aplicadas em outra opção de crédito.

Entretanto, se a pessoa deixar de pagar as parcelas, ela pode perder um bem importante. De acordo com Rafael Rodrigues, diretor comercial do Bom Pra Crédito, cita que quando há inadimplência, “o celular é travado para uso, e o cliente tem acesso somente a ligações de emergência”.

Já na Brelo, uma das empresas que aposta neste tipo de empréstimo, a avaliação do celular é feita de forma remota. Ademais, além de avaliar as condições do celular, “o sistema verifica o modelo exato do aparelho, e faz uma pesquisa do preço do usado nos principais sites de compra e venda”, explica Fran Pasquini, cofundador da Brelo.

Essa opção de empréstimo vale a pena?

De acordo com Klaus Suppion, coordenador de Ciências Contábeis da Universidade Metodista de São Paulo, é necessário avaliar muito bem as condições antes de contrataro empréstimo com o celular como garantia. Em geral, os juros dessa modalidade variam de 10% a 18% ao mês.

“A minha avaliação é que ela só é válida para pagar uma conta em que o juros está mais alto do que o oferecido ou para necessidades extremamente emergenciais, como uma cirurgia, em que a pessoa precisa do crédito de forma rápida”, avalia.

Sendo assim, vale a pena verificar todas as opções disponíveis no mercado, antes de contratar essa opção de crédito. Ah, e se você não tem certeza de que consegue pagar o crédito, a recomendação é não fazer o mesmo, já que ao ficar inadimplente, o seu aparelho celular é bloqueado.