A Marfrig (MRFG3) companhia de alimentos a base de proteína animal, divulgou que efetuou a compra de 196.869.573 mil ações ordinárias da empresa BRF (BRFS3), outra empresa brasileira do ramo alimentício (fruto da fusão entre Sadia e Perdigão).

Essa aquisição corresponde aproximadamente 24,23% do capital social da BRF e a compra, segundo fato relevante divulgado pela Marfrig, foi feito diretamente no mercado, leilão em bolsa.

Pelo preço das ações da BRF, calcula-se que tenham sido envolvidos cerca de R$ 3,2 bilhões nessa transação.

Marfrig diz que não quer fusão

De acordo com comunicados divulgados por ambas empresas, o objetivo dessa compra não é a fusão das delas.

A BRF disse ter sido informada pela Marfrig que ela não pretende eleger membros para a administração da empresa, exercer influência sobre decisões ou promover alterações no controle ou estrutura da companhia.

A Marfrig, por sua vez, fez a mesma declaração ao mercado e aos acionistas, dizendo que "a aquisição da participação na BRF mencionada visa a diversificar os investimentos da Marfrig em um segmento que possuí complementaridades com seu setor de atuação numa empresa onde a Administração vem realizando uma reconhecida gestão"

No comunicado, ela ressaltou ainda que "não foram celebrados pela Marfrig quaisquer contratos ou acordos que regulem o exercício de direito de voto".

Ações sobem com a especulação

Apesar dessas declarações, as especulações de fusão das empresas aconteceram e tiveram impacto nas ações das companhias. Na última sexta-feira, 21 de maio, as ações da BRF fecharam com o valor de R$ 26,93 cada, uma alta de 16,03% em relação ao preço da manhã de sexta.

Já as ações da Marfrig tiveram um pico de crescimento de 9,40% entre as 13h30 e as 15 horas de sexta-feira, porém, ao fim da tarde as ações registravam uma queda de 11,87%, fechando o dia de negociações em R$ 18,05 cada.