A debênture é uma aplicação que muitos investidores médios desconhecem. Entretanto, elas representam um volume importante de investimentos relacionados ao mercado financeiro no Brasil. O papel oferta um rendimento mais atrativo do que os títulos de renda fixa emitidos pelas instituições financeiras.

De acordo com dados da Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiros e de Capitais (Anbima), nos últimos 6 meses, as debêntures movimentaram no Brasil, praticamente o dobro da soma de aplicações de renda fixa, tais como o CRI, CRA e FIDC.

Já em 2020, as debêntures movimentaram mais de R$ 120 bilhões em recursos. Enquanto isso, os papéis de renda variáveis ligados a aberturas iniciais de capital (IPOs) de empresas na bolsa de valores e de follow-ons de ações, movimentaram mais de R$ 90 bilhões.

A seguir, confira o que significa uma debênture, o que a difere de uma ação, e quais as melhores opções de investimento, disponíveis no mercado atualmente.

O que é debênture?

A debênture é um título emitido pelas sociedades controladas por ações para a captação de recursos no mercado de capitais. A intenção é financiar projetos das empresas, alongamento do perfil de dívidas, obtenção de capital de giro, entre outros.

Enquanto o Tesouro Direto representa um empréstimo de recursos ao governo federal, os CDBs simbolizam um capital emprestado aos bancos. Por outro lado, a debênture é uma dívida da companhia com o investidor e assegura aos seus compradores uma remuneração combinada.

Diferença entre debêntures e ações

Em suma, é muito fácil confundir as debêntures com as ações. Ambos os papéis são títulos de empresas, negociados no mercado de capitais. Entretanto, as debêntures são classificadas como investimentos de renda fixa, como os títulos públicos e a poupança.

Sendo assim, as regras relacionadas a prazos e ao formato da remuneração se definem no momento da aplicação. Quem investe em uma debênture, já sabe por quanto tempo o recurso vai ficar aplicado, e quais os juros que vai receber.

Quais são as melhores debêntures do mercado?

Segundo informações divulgadas pela Ativa Investimentos para o segmento e ela sugere 5 debêntures:

  1. Echoenergia Participações
  2. Brisanet
  3. Eletrobras
  4. Cagece
  5. Salus Infraestrutura Portuária

Saiba mais sobre cada uma delas abaixo.

Echoenergia Participações

A 1ª indicação foi a Echoenergia Participações. A empresa gera energia elétrica da região nordeste, e trabalha com fontes renováveis. As debêntures da empresa tem a duração mínima de 5 anos, e vencimento para 2026. De acordo com a Ativa, “O fluxo de pagamentos da dívida é composto por pagamentos de juros semestrais e amortizações anuais a partir de junho de 2023”.

Entretanto, os analistas ressaltaram que os títulos não têm garantias. Porém, elas contam com covenants financeiros de dívida líquida/EBITDA para limitar a alavancagem financeira da empresa.

Brisanet

A 2ª escolha foi a emissão de dívida da Brisanet, com vencimento em março de 2028, e duração mínima de 4 anos. Um lado bom, é que o título tem garantia. De acordo com a Ativa, “O fluxo de pagamentos da dívida é composto de juros semestrais, a partir de setembro de 2021, e amortizações semestrais a partir de março de 2025”.

Eletrobras

O 3º escolhido é o título da Eletrobras, a maior empresa do setor elétrico no Brasil. O título não tem garantias, mas tem um baixo risco, com o indicador dívida líquida/EBITDA em 3,75 vezes. O pagamento da dívida se compõe por juros semestrais, a partir de outubro de 2021, além da rentabilidade principal na data de vencimento.

Cagece

Em 4º lugar, está a Cagece, Companhia de Água e Esgoto do Ceará. O vencimento final do título ficou em março de 2029. Entretanto há a chance de sair 5 anos após a emissão inicial.

De acordo com a Ativa, “O fluxo de pagamentos da dívida é composto por pagamentos de juros semestrais, a partir de setembro de 2021, e amortizações semestrais a partir de setembro de 2027”.

Salus Infraestrutura Portuária

Por fim, a Ativa escolheu a debênture da Salus Infraestrutura Portuária. O investimento tem uma duração mínima de 1 ano e meio, com vencimento final para outubro de 2024. “O fluxo de pagamentos da dívida é composto por pagamentos de juros e amortizações anuais no mês de outubro”, concluiu.

E aí ficou interessando em algum desses? Se sim, bons investimentos!