Essa quarta-feira, 6 de outubro, foi marcada pela estreia na Bolsa de valores do Brasil - a B3 - das cotas do Tech Fundo de Investimento Ações no Exterior (TECH11), gerido pela EQI Asset. Esse é o primeiro Fundo de Investimento em Ações (FIA) listado na B3 e investirá em empresas de tecnologia globais, primordialmente em empresas do Índice NASDAQ-100.

“As tendências atuais seguem em direção para um mundo mais globalizado, e o mercado financeiro não poderia ficar para trás. Esse novo fundo da EQI amplia a família de produtos listados na B3 que, de forma simples e democrática, permitem que investidores tenham exposição ao mercado externo e possam diversificar seus investimentos”. pontuou Rogério Santana, diretor de Relacionamento com Clientes da B3.

O que é um Fundo de Investimento em Ações?

Um Fundo de Investimentos é uma aplicação que reúne recursos de vários investidores para aplicar no mercado financeiro e de capital e cujos ganhos são divididos entre aqueles que participaram, na proporção dos valores oferecidos por cada um.

Pra ficar ainda mais claro, imagine uma cesta cheia de diferentes frutas. Cada uma dessas frutas é uma ação e você pode investir em cada uma delas separadamente, porém, você também pode escolher investir na cesta inteira, essa cesta é o Fundo de Investimentos em Ações. No caso de um fundo de investimentos em ações do exterior, a diferença é que o dinheiro dos investidores será aplicado em empresas lá de fora.

Mas quais serão as empresas? Isso quem decide é o gestor, normalmente da corretora que disponibiliza o fundo. Ele vai escolher as frutas que ele acha mais adequadas para fazer a aplicação tendo como base um índice ou não. Esse gestor sempre é alguém especialista no assunto ou um grupo de especialistas.

Um dos problemas dos fundos que estavam disponíveis até em então é que eles são disponibilizados apenas pelas corretoras, ou seja, cada corretora tinha os seus FIAs. Então se você tinha interesse em determinado fundo, precisava ter uma conta na corretora e aplicar dinheiro através dela.

Sobre o TECH11 e porque ele é importante

O TECH11 é importante por uma série de motivos. Primeiro porque ele é o primeiro fundo a ser listado na bolsa brasileira. Isso significa que ele estará disponível para todas as corretoras. Essa é a sua principal diferença e inovação, abrindo caminho para outros fundos do mesmo tipo. Se você tiver interesse em adquirir cotas do fundo, tendo conta em qualquer corretora, você pode.

Segundo porque o TECH11 investirá em empresas de tecnologia globais, primordialmente em empresas do Índice NASDAQ-100, como já dito acima. Esse índice reflete a performance das 100 maiores empresas estadunidenses, especificamente no segmento de tecnologia. Sabemos que esse segmento tem muito potencial porque tudo permeia a tecnologia hoje.

Além disso, através desse fundo, o investidor pode expor sua carteira ao desempenho de empresas estrangeiras, ao dólar e com estratégia ativa de diversificação. Sem contar que ao investir em um FIA, o investidor fica menos suscetível às oscilações de uma ação específica, pela característica diversa de alocação de recursos sob a curadoria de um gestor profissional.

Como investir nesse FIA?

As cotas desse fundo são destinadas ao investidor qualificado, ou seja, no mercado financeiro, um investidor qualificado é um investidor que tem o patrimônio de pelo menos R$ 1 milhão. Então, ele não estará disponível para qualquer um, infelizmente.

Porém, se for o seu caso, o investimento pode ser feito por meio de qualquer corretora de investimentos, num processo exatamente igual ao do investimento em ações, por exemplo. Basta buscar o código TECH11 e fazer a aplicação.