A empresa de maquininhas Getnet, que faz parte do portfólio do Banco Santander (SANB11), estreou na Bolsa de Valores de São Paulo (B3) na segunda-feira de 18 de outubro por meio da GETT3 com uma alta de 175% no primeiro dia de negociação, saltando de cerca de R$ 4 para R$ 12 até por volta das 14h. Houve momentos em que o papel salou quase 300%.

Além disso, após uma cisão com seu dono, a Getnet também listou na B3 ações do tipo preferencial (GETT4) que também dispararam forte em 18 de outubro, mais de 100%. Com isso, a empresa ainda ostentou alta em suas units GETT11.

Esfriou?

Após as oscilações intensas dos primeiros dias de negociação, as ações da Getnet agora acumulam quedas na Bolsa de Valores (B3). A ação do tipo ordinária GETT3 entrou cotada por volta de R$ 5,40 e nesta sexta-feira, 22 de outubro, operava em queda acumulada de 39,44% desde a estreia, com preço de R$ 3,22 até às 13h06.

Por sua vez, a ação preferencial GETT4 registra uma baixa de 45,47% acumulada nos últimos cinco dias, cotada a R$ 2,71 até às 13h10 de hoje (22). Com isso, as units GETT11 caíam de R$ 6,40 em das 11h30 de 18 de outubro para R$ 5,59 nesta sexta-feira, de 22 de outubro, com baixa de 12,6%.

Créditos: Reprodução/Google.
Créditos: Reprodução/Google.

É comum que esses atípicos movimentos de baixa e alta ocorram com empresas novas na bolsa de valores, que passam a ser alvo de especulação em massa. Além disso, deve-se destacar que a Getnet não estreou na B3 por meio um IPO - que conta com a ferramenta lock-up.

A concorrente da Cielo (CIEL3), que possui hoje uma participação de mercado de 16% com uma base de 876 mil clientes ativos, agitou o mercado nessa semana e vem chamando a atenção não só de especuladores, mas também de analistas. Além de ser uma nova empresa no mercado, a operação envolve ainda um dos maiores bancos do país, o Santander.

Atualmente, 47% das ações ordinárias da Getnet estão sob titularidade da Sterrebeeck BV, uma subsidiária do Santener, 43% da empresa está diretamente nas mãos do Grupo Santander e os 9% restantes estão com acionistas minoritários.

Créditos: Divulgação/Getnet.
Créditos: Divulgação/Getnet.

Um pouco sobre a Getnet e sua estratégia de expansão

Fundada em 2003 no Rio Grande do Sul como uma empresa de pagamentos e de recargas de celular pré-pago, atualmente a Getnet é uma competitiva operadora de diversos produtos e serviços financeiros, com destaque para o mercado digital, inclusive, o que é importante dado o avanço da transformação digital nos últimos anos, e em meio à pandemia. Agora em 2021, a Getnet comprou a empresa de software Eyemobile.

"Nosso foco nos últimos anos tem sido criar uma plataforma multisserviço para os nossos clientes, com soluções que vão desde meios de pagamentos até serviços financeiros de valor agregado, tanto no mundo físico quanto no digital.

Com isso, após anos de contínuos investimentos e melhorias, os estabelecimentos comerciais já possuem acesso às mais modernas tecnologias e soluções inovadoras do mercado e nós planejamos expandir nossos negócios ainda mais para trazer a melhor experiência ao cliente", explica a Getnet em seu site.

Segundo a empresa, para conseguir tal expansão dos serviços e podutos ofertados aos clientes, estão na mesa as seguintes estratégias:

  • Expansão da oferta de produtos digitais e investimentos de monetização;
  • Manutenção da vantagem competitiva em termos de eficiência;
  • Manutenção do relacionamento com o Santander Brasil e expansão do Canal Independente;
  • Transformação em um pilar principal no âmbito da PagoNxt, que é subsidiária da Getnet.

3T21 da Getnet (GETT11)

A Getnet vai divulgar seus resultados operacionais e financeiros pela primeira vez após a estreia na B3 no dia 27 de outubro, antes da abertura do mercado, segundo o calendário corporativo da empresa. Nesse mesmo dia, às 13h no horário de Brasília, será feita a teleconferência de apresentação do relatório sobre o terceiro trimestre do ano (3T21).