A Hashdex, gestora do ETF de criptomoedas brasileiro HASH11, fez um rebalanceamento de seu índice co-criado em parceria com a Nasdaq, o Nasdaq Crypto Index (NCI) nessa terça-feira, 1º de junho, e agora ele conta com dois novos ativos em seu portfólio.

São eles o Filecoin e o Uniswap. Ele se juntam às criptomoedas Bitcoin, Ethereum, Stellar, Litecoin, Bitcoin Cash e Chainlink. Como o HASH11 segue esse índice em sua exposição aos ativos, ele também foi impactado e ambos passam a estar nas carteiras dos investidores desse fundo.

Essa mudança se deu após algumas semanas de queda no preço das criptomoedas, especialmente do Bitcoin, fato que vem afetando negativamente o preço do ETF brasileiro que estreou na B3 no dia 22 de abril de 2021.

O Bitcoin (BTC) cujo valor chegou a atingir a casa dos US$ 60 mil hoje está custando US$ 35,9 mil. E o HASH11, que em seu IPO custava R$ 50,00 hoje está sendo negociado a cerca de R$ 35,00, o que representa uma redução de 30%.

Essas quedas, se deram principalmente após anuncios feitos pelo CEO da Tesla, Elon Munk, a respeito da moeda virtual e de proibições determinadas pela China em relação às negociações da cripto.

Ainda assim, a moeda segue com uma alta de 289,75% no ano, já que no início de junho de 2020 a criptomoeda custava cerca de US$ 9,6 mil. Além disso, alguns especialistas acreditam que a criptomoeda tem potencial para se recuperar ao longo de 2021 ainda.

Abaixo, saiba um pouco mais a respeito das duas novas criptomoedas do índice.

Filecoin

Desenvolvido pela Protocol Labs, o Filecoin foi criado em 2014 e é uma rede blockchain de armazenamento descentralizada com foco no usuário que busca alugar espaço para armazenamento. O projeto arrecadou U$205 milhões em uma oferta inicial de moedas (ICO) em 2017.

O Filecoin é um protocolo aberto baseado em um blockchain que registra os compromissos assumidos pelos participantes da rede, com transações feitas usando FIL, a moeda nativa do blockchain. O blockchain é baseado em proof-of-replication e proof-of-spacetime.

Atualmente a criptomoeda está valendo cerca de US$ 70,00, mas há algumas semanas, num momento de alta, ela chegou a US$ 230. Isso a tornou elegível para o índice.

Uniswap

Já a Uniswap opera como uma corretora (exchange) descentralizada que possibilita a negociação de ativos sem intermediários. "O Uniswap já era um ativo que tinha uma representatividade alta em relação aos outros criptoativos do mercado, mas recentemente ele passou a ser suportado por mais custodiantes institucionais e exchanges que estão dentro da lista de exchanges acompanhadas pela Nasdaq, critério exigido pelo NCI", explica Samir Kerbage, CTO da Hashdex.

O criptoativo é executado na blockchain Ethereum e permite operações descentralizadas para investidores de varejo em transações pontuais, além de servir como fonte de liquidez para milhões de usuários de aplicações de finanças descentralizadas (DeFi). Ele tem integração com cerca de 200 projetos, com mais de 50 milhões de transações, movimentando mais de US$ 250 bilhões.

Exposição

Não se sabe ainda exatamente qual o peso que as novas criptomoedas terão dentro do índice. Até essa terça-feira, dia 1º, a exposição do investidor de HASH11 acontecia da seguinte forma:

- Bitcoin com peso de 79,68%
- Ethereum com peso de 16,93%
- Litecoin com peso de 1,24%
- Chainlink com peso de 1,00%
- Bitcoin Cash com peso de 0,64%
- Stellar com peso de 0,50%

Com o rebalanceamento, é possível que a exposição a Bitcoin tenha sofrido uma redução em favor das novas moedas. Em breve novas informações deverão ser divulgadas.