A partir desse sábado, 9 de outubro, os brasileiros terão que lidar com um novo aumento no preço da gasolina e do gás de cozinha. A Petrobras anunciou, por volta do meio dia dessa sexta-feira, dia 8, que vai reajustar o preço desses itens em mais de 7%.

Segundo a empresa, esse aumento tem como objetivo evitar o desabastecimento. Com a mudança, o preço médio de venda da gasolina para as distribuidoras passa de R$ 2,78 para R$ 2,98 por litro, o que significa um aumento de 7,19%.

Já o aumento do gás de cozinha será de cerca de 7,22%. O preço sai de R$ 3,60 para R$ 3,86 por kg, o equivalente a R$ 50,15 por 13 kg. Em muitas localidades do Brasil esse botijão já estava custando mais de R$ 100 aos consumidores.

A justificativa apresentadas pela Petrobras foi a de que as altas “refletem parte da elevação nos patamares internacionais de preços de petróleo, impactados pela oferta limitada frente ao crescimento da demanda mundial, e da taxa de câmbio, dado o fortalecimento do dólar em âmbito global”.

Preço dos combustíveis vem elevando a inflação

A Petrobras disse que essa alta da gasolina acontece após 58 dias de estabilidade, porém, os dados do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) mostram que nos últimos meses o grupo dos transportes é um dos que mais vem elevando a inflação e que, apesar de o último reajuste oficial na gasolina ter sido no início de agosto, em setembro o preço dos combustíveis subiram 2,43%, influenciados pelas altas da gasolina (2,32%) e do etanol (3,79%). Além disso, o gás veicular (0,68%) e o óleo diesel (0,67%) também apresentaram variação positiva.

Além disso, o grupo habitação só no mês de setembro registrou uma inflação de 2,56% e, adivinhem, o gás faz parte desse grupo. Segundo os dados do IBGE, no subitem gás encanado houve uma alta de 0,29% - decorre principalmente dos reajustes no Rio de Janeiro (0,54%) e em Curitiba (0,98%). Já os preços do gás de botijão, que aumentaram 3,91% em setembro, acumulam alta de 34,67% nos últimos 12 meses.