Uma ajudinha na hora de investir é sempre uma boa pedida não é mesmo? Melhor ainda quando essa ajuda vem de um time de especialistas no assunto! Pensando nisso, o Poupar Dinheiro resolveu trazer aqui a Carteira Recomendada de Fundos Imobiliários da Nu invest. Você pode conferi-la logo mais abaixo. Mas antes, vamos saber um pouco mais sobre os FIIs e sobre essa carteira.

O que são FIIs?

O Fundo de Investimento Imobiliário (FII) é, como o nome sugere, uma aplicação financeira cujos ativos estão atrelados a imóveis. É como se fosse um condomínio de acionistas cujo objetivo é investir no desenolvimento e manutenção de projetos ligados ao setor imobiliário. A principal forma de ganho com esse ativo é a distribuição do lucro obtido pelos empreendimentos: os poventos.

Porém, além disso, o investidor também ganha com a valorização dos ativos no mercado financeiro. A diferença em relação às ações, porém, é que os FIIs costumam ser bem menos voláteis. Assim, essa valorização costuma ser mais lenta. Por outro lado, esses ativos também são considerados mais seguros e são ótimas opções para investidores cujo perfil é mais conservador.

Existem vários tipos de FII, sendo:

  • Fundo Imobiliário (FII) de Tijolo: são fundos de imóveis físicos, que geralmente têm como renda o aluguel dos empreendimentos. Também envolve a construção e compra de novos imóveis. São exemplos de ativos de FII de tijolo os shopping centers, supermercados, galpões logísticos, escritórios de empresas e universidades;
  • Fundo Imobiliário (FII) de Papel: esse tipo de fundo imobiliário compra títulos financeiros (papéis), ao invés de imóveis físicos, mas que estejam ligados ao setor imobiliário. É o caso de cotas de outros FII's, Letras de Crédito Imobiliário (LCI), Certificado de Recebíveis Imobiliários (CRI), ações de empresas do setor, dentre outros;
  • FII híbrido: aqui o gestor do fundo investe tanto em imóveis físicos (de tijolo) quanto em cotas de fundos imobiliários;
  • Fundo de Fundo (FOF): já os FOF's são compostos de cotas (partes) de outros fundos imobiliários.

Desta forma, com um FII, é possível investir no mercado imobiliário sem a compra de um imóvel. Isso porque nesse tipo de ativo o investimento em empreendimentos acontece por meio de aquisição de cotas do Fundo. O investidor, por sua vez, terá direito a proventos, de forma proporcional à participação.

Com a venda das cotas do fundo, os administradores do FII podem aportar o dinheiro levantado em uma série de medidas, como aquisições de mais imóveis e/ou de papéis ligados a outros ativos do setor, etc.

Sobre a carteira Top FII

A Carteira Top FII é compostas por Fundos Imobiliários que possuem boas expectativas no pagamento de rendimentos, assim como preços atrativos que também possibilitem a valorização da cota no longo prazo.

Atualmente, compõem a carteira 9 ativos que você poderá conhecer mais abaixo.

FIIs para investir agora

Veja abaixo quais são os 9 ativos recomendadas pela Nu invest para junho de 2022 na categoria Fundos de Investimento Imobiliário (FIIs):

Fundo Código Alocação Segmento Preço Atual Preço Teto DY (12 meses)
RBR Rendimento High Grade RBRR11 12% Recebíveis R$99,82 R$110,00 11.56%
Capitânia Securities II CPTS11 11% Recebíveis R$91,98 R$110,00 13.32%
Kinea Securities KNSC11 11% Recebíveis R$92,75 R$110,00 13.83%
Devant Recebíveis Imob. FII DEVA11 11% Recebíveis R$98,25 R$110,00 15.80%
Bresco Logística FII BRCO11 11% Logístico R$98,08 R$108,00 6.58%
BTG Pactual Logística FII BTLG11 11% Logístico R$100,99 R$110,00 8.45%
BTG Pactual Agro Logística BTAL11 11% Agronegócio R$97,8 R$110,00 9,33%
Vinci Shopping Centers FII VISC11 11% Shopping R$100,98 R$105,00 7,42%
BTG Pactual Corp. Office BRCR11 11% Escritório R$63,23 R$85,00 8,51%

Fonte: NuInvest.

Análise geral

No mês de maio, o IFIX (principal índice dos fundos imobiliários negociados na B3) subiu 0,26%, acumulando uma rentabilidade estável de 0,56% no ano. Assim como nos meses anteriores, o cenário desafiador em virtude da persistência inflacionária e alta dos juros que pode resultar em uma recessão ou estagflação, ainda geram aversão ao risco.

Para o analista da Nu Invest, o desempenho do IFIX ainda segue tímido e preso por um cenário não só desafiador, mas também sistêmico e de proporção global, que não depende apenas da performance de um ativo isoladamente. Dentre as causas que impactam negativamente, ele destaca três pilares principais:

● Cenário de guerra no leste europeu sem previsão de encerrar;
● A probabilidade de desaceleração econômica na China, com nova onda de covid; e
● O questionamento sobre a eficácia do ritmo de aperto monetário do banco central americano.

"Tudo isso gera uma tempestade perfeita com impacto direto em ativos negociados em bolsa, de risco, além da troca de fluxo para investimentos de renda fixa que apresentam taxas mais atrativas com a alta da Selic e menor risco".

Fundos de papel

O analista destaca ainda também que os fundos de papel continuam em um momento mais favorável pois eles repassam para os seus rendimentos de forma imediata a correção monetária da inflação (IPCA e IGPM), além de possuir títulos indexados ao CDI que se beneficiam do atual ciclo de alta da taxa básica de juros (Selic).

Fundos de tijolo

Elkes devem ser bem analisados, mas pode haver boas oportunidades aqui pois eles estão sendo negociados abaixo do seu valor patrimonial e em alguns casos abaixo do custo de reposição e essa defasagem deve ser ajustada no médio prazo, o que vai valorizar as cotas.