Diante da turbulência do mercado financeiro em setembro, muitos investidores não sabem o que fazer neste mês de outubro. O medo e a incerteza cercam quem está em busca de bons resultados. Inclusive, os analistas da XP, por exemplo, fizeram uma avaliação na qual a diminuição dos preços das commodities, e o aumento das taxas de juros, fizeram a casa revisar o preço-alvo para o índice em 2021, de 135 mil para 130 mil.

A partir desse cenário conturbado, traremos abaixo um resumos das recomendações de ações feitas por 10 corretoras para outubro. Em suma, depois de 17 meses seguidos na liderança, as ações da Vale (VALE3), passaram a dividir o 1º lugar com os papéis da Rede D'Or (RDOR3).

Ademais, a carteira de outubro trouxe outras mudanças: a saída dos papéis da BTG Pactual (BPAC11), e a entrada das ações preferenciais do Itaú Unibanco (ITUB4). Além disso, os papéis da Weg (WEGE3) e da B3 (B3SA3), também receberam indicações. Abaixo, confira todos os detalhes.

5 ações que pagam bons dividendos para investir em outubro

Abaixo, confira a lista das 5 ações mais recomendadas, pelas corretoras Ágora, Ativa, BB Investimentos, BTG Pactual, Elite, Genial, Guide, Órama, Santander Corretora e XP Investimentos.

Ações mais recomendadas para investir em outubro. Créditos: Reprodução Economatica.
Ações mais recomendadas para investir em outubro. Créditos: Reprodução/Economatica.

Análise de cada ação

Vale (VALE3)

As ações da Vale receberam 6 indicações, e ficaram empatadas com as ações da Rede D'Or. De acordo com Ricardo Peretti, estrategista pessoa física do Santander, o curto prazo deve ser muito complicado para as ações da mineradora. Isso se dá, por conta da crise imobiliária da China.

Entretanto, segue com uma visão positiva para a empresa no médio e longo prazos, já que a mesma está bem posicionada no mercado interno e externo. Ademais, ela é uma boa pagadora de dividendos.

Rede D’Or (RDOR3)

Empatada com a Vale, as ações da Rede D'Or reúne 58 hospitais em 9 estados. Para os analistas da Ativa, a empresa segue se destacando em sua área, que é muito rentável. Além disso, a alta taxa de ocupação dos hospitais também contribuiram para o seu crescimento.

Além disso, na avaliação dos especialistas da Ativa, os efeitos gerados pelo problemas financeiros da incorporadora Evergrande e demais eventos, não influenciam nos resultados da Rede. Por fim, vale destacar ainda, que o crescimento orgânico e inorgânico da rede também tem chamado a atenção dos analistas da Guide.

Itaú Unibanco (ITUB4)

Com 5 recomendações, aparecem as ações do Itaú Unibanco. Para os analistas da Guide, o banco pode se beneficiar com o cenário positivo no aumento de crédito no 2º semestre, com destaque para os segmentos de pessoas físicas e pequenas e médias empresas.

Ademais, a instituição deve constatar um aumento nas receitas de serviços, em especial para a parte de cartões. Além disso, a aprovação da cisão de participação na XP pelo Banco Central, também é muito positivo para as ações. Em suma, os analistas explicam que o processo pode “destravar valor com a distribuição das ações da plataforma para os atuais acionistas”.

Weg (WEGE3)

Com 5 indicações, as ações da Weg empataram com as ações do Itaú. De acordo com o relatório do Santander, Ricardo Peretti disse que aposta nos papéis da empresa por conta de 4 fatores.

Em suma, Peretti destaca a boa diversificação geográfica; boa parte da receita ligada a mercados externos; histórico inovador; e uma boa posição no movimento de eletrificação global em energias renováveis.

Ademais, os analistas da Guide destacam ainda, que a companhia vem apresentando um constante ganho de participação de mercado (market share). Paralelo a isso, a instituição é um dos principais competidores no mercado brasileiro de energia eólica. Inclusive, atua no fornecimento de soluções completas para geração hidrelétrica.

B3 (B3SA3)

Por fim, as ações da B3, aparecem com 4 recomendações. Mesmo que o ciclo de aumentos de juros possa causar preocupação, os analistas da Ágora afirmam que os níveis atuais de avaliação, fornecem uma proteção com relação ao cenário.

De acordo com os executivos da Ágora, a empresa está descontada em relação aos pares globais, e pode ofertar, conforme as projeções da casa, um dividend yield (taxa de rendimento de uma ação apenas com o pagamento de dividendos) de 5,8% em 2022.