A Apple lançou a mais nova linha do aclamado iPhone em setembro de 2021, abrindo mais uma rodada de vendas de smartphones da marca pelo mundo. Trata-se do iPhone 13, que veio com mais versões: iPhone 13 Mini, iPhone 13 Pro e o iPhone 13 Pro Max.

No Brasil, a nova linha de celulares da Apple chegou um pouco mais tarde, em outubro de 2021, a preços altos. A versão mais barata do iPhone 13 Pro Max, por exemplo, com 128GB, veio para cá com um preço de lançamento de R$ 10.499,00, por exemplo.

Atualmente, a versão mais robusta do iPhone 13 Pro Max, com 1TB de memória, é encontrada na loja da Apple por R$ 14.972,00.

A aquisição de um iPhone da Apple, que é dona do celular mais caro do mundo, costuma ser o topo dos desejos de muita gente. O lançamento da linha 13, por exemplo, ganhou destaque pelo mundo, inclusive no Brasil.

Por motivos de organização financeira, é sabido que se deve fazer as contas e tentar buscar a melhor maneira para comprar coisas. Mas, e se, ao invés de comprar o icônico, alguém colocasse o preço de um iPhone para outros projetos, por exemplo, como para realizar investimentos?

Pensando em tudo isso, nós do Poupar Dinheiro trazemos abaixo uma ideia: quanto renderia o valor de lançamento do iPhone 13 Pro Max no Nubank e na poupança em 2022? Confira!

Qual preço do iPhone 13 no Brasil?

Após altas e baixas, o preço do iPhone 13 no Brasil já pode ser visto abaixo dos preços do lançamento, mas os preços mais baixos só são vistos em empresas do varejo. Segundo o comparador de preços Zoom, atualmente é possível encontrar um iPhone 13 Pro Max, de 6GB de RAM e 128GB de memória interna, a partir de R$ 7,499. Como o comércio é volátil, ainda mais nos produtos do exterior que chegam aqui, os preços oscilam bastante.

Aquela versão com 128GB é vista por R$ 10,142 mil na loja de Steve Jobs. Só para mencionar, atualmente, na loja oficial da Apple, o iPhone 13 Pro Max de 128GB está disponível para venda de até 12X de R$ 845,17.

Já a versão de 1TB do iPhone 13 Pro Max é encontrada hoje nas varejistas do Brasil a partir de R$ 11.960,50. Até a edição dessa matéria, as demais versões (com 256GB e 521GB) eram vendidas entre R$ 8.099,00 a R$ 9.799,00.

R$ 10,5 mil: quanto rende um iPhone 13 Pro Max no Nubank hoje?

Os bancos digitais estão crescendo demais como prestadores dos mais diversos tipos de serviços financeiros. Um dos principais deles no Brasil, o Nubank, permite que seus correntistas digitais recebam rendimentos apenas por depositar dinheiro na conta. Dependendo da estratégia de aportes, a conta do roxinho pode até mesmo ser uma opção para quem deseja formar uma reserva de emergência.

Voltando ao assunto da empresa de Steve Jobs, simulamos quanto rende o valor de R$ 10,5 mil do lançamento do iPhone Pro Max (de 128GB, o mais barato dessa linha) no Nubank.

Para entender isso, primeiro é preciso saber como funciona a rentabilidade da conta do Nubank. Hoje ela garante a partir de 100% do CDI, taxa que fica bem perto da mãe dos juros do Brasil, a Selic.

Hoje, a Taxa Selic está na casa de 11,75% e assim a conta CDI rende em torno de 11,65% ao ano. Com essa base, R$ 10.500,00 mil do iPhone 13 Pro Max renderia um total de R$ 1.723,25 em doze meses no Nubank. Saiba que esse seria o valor bruto acumulado, sem considerar taxas e aportes extras.

Desses 1.723 mil reais seriam cobradas taxas e o investidor teria no final ganho uma quantia líquida de R$ 1.509,18 após o período de um ano, segundo o simulador do Nubank. Dessa forma, na conta haveria um total de R$ 11.509,18.

Quanto rende um iPhone 13 Pro Max na poupança?

Com a Selic ultrapassando 8,5% ao ano, em 2022 as regras de rentabilidade da poupança mudaram e ela fica bem abaixo da inflação. Pelas regras, hoje a poupança rende pouco mais de 0,51% ao mês, sendo um valor fixo de 6,17% ao ano, mais a Taxa Referencial (TR) que varia bastante, mas em março desse ano foi de 0,0971%.

Consideremos então a rentabilidade fixa da poupança, de 6,17% ao ano. Nesse caso, os R$ 10.500,00 do iPhone 13 Pro Max renderiam cerca de R$ 647,80, brutos, após doze meses.

Como juntar dinheiro para comprar um iPhone 13?

Não é algo que os mais apressados optam, mas é possível juntar dinheiro para comprar coisas por meio de investimentos em renda fixa, que é um produto seguro e indicado para essas situações. Com planejamento e paciência, com esse tipo de ativo, dá para poupar dinheiro com rendimentos em busca da quantia necessária para ir às compras, com pagamento à vista (geralmente com desconto), de um iPhone, por exemplo.

Juntar dinheiro para comprar um bem, como um iPhone, é uma tarefa que depende do orçamento de cada um, sendo que vale a pena tentar uma renda extra. Todo o planejamento deve considerar os principais pontos:

  • Quanto é a renda?
  • Quais os custos e quanto sobra no mês?
  • Quanto custa o iPhone desejado?

No caso de um iPhone 13 Pro Max, aquele mais simples de R$ 10,5 mil (com 128 GB) no lançamento, pode ser uma verdadeira guerra para quem tem o orçamento apertado - e não quer fazer dívidas com cartão de crédito.

O operacional de guardar dinheiro todos sabem: basta separar uma quantia e deixá-la guardada, mas onde? Essa pergunta é importante, pois pode acelerar ou atrasar a compra do iPhone. Apesar da poupança ser a preferida dos brasileiros, há opções mais atraentes no mercado, com a mesma segurança, mas com rentabilidade maior: é o caso do Tesouro Direto, por exemplo.

Em resumo, o Tesouro Direto é um título público emitido pelo Tesouro Nacional e funciona como um empréstimo: você compra o título e cede recursos para o governo, em troca há uma rentabilidade, assim como acontece quando pedimos um empréstimo ao banco.

Existem vários tipos de Tesouro, mas aquele que nos interessa nesse momento é o Tesouro Selic, no qual é possível resgatar o dinheiro a qualquer momento - e a rentabilidade é maior do que a vista na poupança.

Hoje o Tesouro Selic com prazo de vencimento mais próximo é o "Tesouro Selic 2025", cuja rentabilidade acompanha a taxa selic (veja aqui quanto) mais uma porcentagem.

Mas esperar três anos para comprar o celular? Bom, o celular considerado aqui é o iPhone 13, que, pelo menos hoje em dia, não é barato (fique à vontade para desejar outra linha ou outro aparelho). Além disso, estamos considerando também as pessoas que não têm renda alta.

De qualquer forma, hoje, se R$ 300 por mês fossem poupados no Tesouro Selic 2025, um total de R$ 11.611,70 (já considerando os tributos) poderiam ser resgatados em 1º de março de 2025. O interessante é que do total, R$ 10.500,00 seriam depositados pelo investidor - veja abaixo:

Créditos: Reprodução/Simulador Tesouro.
Créditos: Reprodução/Simulador Tesouro.

A bolada total (de R$ 11,616 mil) fica um pouco acima do necessário para a compra do iPhone 13 Pro Max, no seu preço de lançamento. Mas, segundo o simulador, por volta de 02/12/2024 caso houvesse investimento de R$ 300 a partir de hoje (abril de 2022) no Tesouro Selic 2025, o total líquido acumulado seria de R$ 10.568,00. Nisso, o total investido do bolso do investidor seria de R$ 9.600,00.

Logicamente, o tempo de espera para a compra do iPhone pode diminuir caso os aportes sejam maiores - Clique aqui e use o simulador do Tesouro Direto para fazer suas próprias contas.