Em 2022, já passamos pelo quarto reajuste da taxa básica de juros do Brasil, feito pelo órgão do Banco Central (Copom). Para tentar controlar a inflação, o resultado dos aumentos consecutivos foi uma Taxa Selic de dois dígitos: 13,25% ao ano.

Ajustar a taxa Selic causa um efeito cascata nos demais juros do país, como a própria inflação, mexe com financiamentos e empréstimos, além de alterar a rentabilidade de investimentos, incluindo a poupança.

Dessa maneira, uma questão aparece: com a Selic de hoje, de 13,25% ao ano, será que a poupança vale a pena? A resposta está nos princípios da caderneta, bem como no conhecimento das alternativas que temos no país.

Confira abaixo como funciona a rentabilidade da poupança em 2022, com o novo aumento da selic, e descubra se existem opções melhores.

Como é a rentabilidade da poupança em 2022?

A Taxa Selic foi aumentada pelo Banco Central muitas vezes nos últimos meses. De 2,00% no auge da pandemia, em 2020, a taxa de juros chega a 13,25% ao ano em 2022, podendo até mesmo subir mais um pouco em breve. É importante entender isso para compreender como funciona a rentabilidade da poupança. Basicamente são duas regras:

  1. Selic abaixo de 8,5% ao ano: a poupança rende 70% da taxa selic em vigor + Taxa Referencial (TR);
  2. Selic acima de 8,5% ao ano: nesse caso, a poupança rende 0,5% ao mês, cerca de 6% ao ano, mais a TR.

Portanto, hoje a poupança segue a regra para a selic acima de 8,5% ao ano: sendo de 0,5% por mês, acrescida da taxa referencial, que nas últimas semanas girou em torno dos 0,1%.

Quanto rende a poupança hoje?

Dados do Banco Central mostram que a poupança abriu o mês de julho de 2022 com uma rentabilidade exata de 0,6639% ao mês, dando cerca de 7,9% ao ano. Geralmente, para efeitos de comparação e análise, a remuneração do início do mês pode ser a considerada, mas há variação entre os dias.

O Banco Central calcula rotineiramente a rentabilidade da poupança. O histórico mostra que a caderneta caminha para 0,7% ao mês, atingindo nesse caso cerca de 8,5% ao ano. Confira abaixo um breve histórico de julho:

Rendimento diário da poupança em julho
Remuneração total
Data Término Depósitos até 03.05.2012 Depósitos depois de 04.05.2012
01/07/2022 01/08/2022 0,6639 0,6639
02/07/2022 02/08/2022 0,6643 0,6643
03/07/2022 03/08/2022 0,7013 0,7013
04/07/2022 04/08/2022 0,7284 0,7284
05/07/2022 05/08/2022 0,7281 0,7281
Fonte: Banco Central do Brasil.

Histórico da Taxa Selic

A última vez em que a Selic estava abaixo dos 8,5% ao ano foi em meados de outubro a novembro de 2021. Já no mês de dezembro a taxa subiu 1,5 ponto percentual para 9,25%.

Confira abaixo o histórico dos últimos dois anos e meio da Selic:

Últimos ajustes da Taxa Selic
Reunião do Copom SELIC - % a.a. Ajuste
15/06/2022 13,25 + 0,50
04/05/2022 12,75 + 1,00
16/03/2022 11,75 + 1,00
02/02/2022 10,75 +1,50
08/12/2021 9,25 +1,50
27/10/2021 7,75 +1,50
22/09/2021 6,25 + 1,00
04/08/2021 5,25 +1,00
16/06/2021 4,25 +0,75
05/05/2021 3,50 +0,75
17/03/2021 2,75 +0,75
20/01/2021 2,00 0
09/12/2020 2,00 0
Créditos: Banco Central/Poupar Dinheiro

Poupança segue perdendo para a inflação

A poupança é a mais conhecida dos brasileiros quando o assunto é Poupar Dinheiro. Entretanto, por desconhecimento, muitos não sabem como realmente funciona a rentabilidade da poupança e o impacto da inflação.

É natural pensar que, com o aumento da taxa de juros aumentando, então a poupança torna-se mais atraente. Entretanto, não se deve esquecer da inflação.

É preciso saber que a poupança não possui proteção contra a inflação. Para dizer melhor, pensando-se em tirar o dinheiro da caderneta, os ganhos são rotineiramente engolidos pela inflação e pouco ou nada sobra para o poupador.

Por exemplo, segundo a Economatica, só em março de 2022 a rentabilidade da poupança, no resultado acumulado nos 12 meses anteriores, ficou negativa em -6,20%, descontada a inflação medida pelo IPCA. E assim, veio de uma perda de -6,01% nos 12 meses até o mês de fevereiro.

Para efeitos práticos, historicamente, nem rendendo 70% da Selic, nem chegando a 0,5% ao mês, a poupança conseguiu se proteger da inflação.

Dessa maneira, a poupança não é a melhor opção de guardar dinheiro atualmente no Brasil, mesmo com o aumento da taxa Selic para 13,25% ao ano.

Para comprovar isso, existem hoje ativos que são tão seguros quanto à poupança, talvez até mais, e que possuem rentabilidade bem superior ao da caderneta. São opções que remuneram acima da inflação ou que acompanham o próprio IPCA. Saiba mais abaixo:

Tesouro Direto: seguro e rende mais do que a poupança

O Tesouro Direto deveria ser ensinado nas escolas. Esse é o investimento mais seguro do Brasil e envolve a compra e venda de títulos públicos federais, espécies de empréstimos que o próprio governo faz junto à população.

No lugar do banco, esse "empréstimo" é gerenciado pelo Tesouro Nacional e a Bolsa de Valores de São Paulo e permite que todos, com 18 anos ou mais, possam usar esse tipo de investimento para os mais variados objetivos: guardar dinheiro para emergência, compra de carro e casa, estudos, viagens, dentre outros.

O Tesouro conta com vários títulos públicos, com prazos e rentabilidades diferentes. Mas, com uma rápida simulação é fácil constatar que se trata de uma melhor opção, na comparação com a poupança.

Digital, os títulos públicos, por meio do Programa Tesouro Direto, são garantidos pelo Tesouro Nacional, ou seja, são os investimentos mais seguros do país.

Além da segurança, os títulos do Tesouro Direto possuem taxas de remuneração atraentes, que podem acompanhar 100% a Taxa Selic ou até mesmo a inflação (mais algum bônus). Existem também opções com taxas fixas para que se saiba qual será o rendimento exato na hora do resgate.

Quem coloca dinheiro no Tesouro Direto, que conta com títulos a partir de R$ 30, consegue realizar o resgate com facilidade, pois a liquidez geralmente é diária. Mas, o interessante é deixar o aporte até o final ou durante algum tempo, para não perder com o imposto de renda.

Concluindo, mesmo com a alta nos juros que beneficiam certos investimentos, a poupança segue perdendo para a inflação e não se torna atraente, pois existem opções melhores no mercado financeiro, como os títulos públicos.

Poupança x CDI x Tesouro: quanto rende R$ 1.000?

Como vimos acima, em julho de 2022, para efeitos de comparação, a poupança rende 0,6639% ao mês, cerca de 7,9% ao ano. Nesse caso, os ganhos brutos de R$ 1.000,00 - sem considerar a inflação - é de R$ 79,66 por ano.

A CDI é uma taxa que costuma entregar quase 100% da Selic. Hoje, investimentos atrelados a CDI entregam cerca de 13,15% ao ano. Assim, R$ 1.000 aplicados dariam R$ 131,50 por ano, sem impostos.

Hoje o Tesouro Selic rende a selic + 0,0993%. Dessa maneira, o investimento em doze meses totalizaria R$ 133,49, sem impostos.