Muitos investidores ficam de olho em ofertas públicas iniciais (IPO's), pelo potencial de valorização das ações. De uma forma geral, a expectativa é a de que após a oferta inicial a empresa tenha um crescimento e assim, aqueles que investiram nela logo no início, ganham com isso.

No entanto, para as que entraram na Bolsa de Valores (B3) em 2021, o momento parece não estar sendo dos mais favoráveis. Um levantamento publicado pelo buscador de investimentos Yubb recentemente, mostrava que até a metade do mês de abril, mais da metade delas vinha tendo um desempenho negativo.

Com base nesse estudo, o Poupar Dinheiro foi em busca dos dados atualizados de todos os IPOs realizados, incluindo quatro novos que aconteceram após a publicação desse levantamento, comparamos os preços iniciais de suas ações com os preços desta sexta-feira, 30 de abril e identificamos que: das 21 ofertas iniciais, 10 delas estão no vermelho.

Então, será que vale a pena entrar em IPOs? Nesse artigo, vamos trazer as principais informações sobre essas ofertas públicas. Esperamos te ajudar a avaliar isso.

O que é um IPO?

Mas antes de mais nada é importante compreender o que é um IPO. Essa é a sigla para Initial Public Offering (em inglês). É um tipo de oferta pública em que as ações de uma empresa são vendidas ao público em geral numa bolsa de valores pela primeira vez. É o processo pelo qual uma empresa se torna numa empresa de capital aberto.

Por que as empresas abrem seu capital? Porque emitindo ações no mercado e tornando-se públicas, elas conseguem captar recursos. Quando atingem esse estágio, é sinal de que elas cresceram bastante mas precisam de ainda mais capital para fazer com que esse crescimento seja uma constante, ou para fazer uma grande aquisição, por exemplo.

Veja na análise abaixoo desempenho das empresas estreantes da Bolsa em 2021:

IPOs de 2021

Até o último dia de abril, os IPOs realizados no Brasil foram:

DATA EMPRESA - TICKER VALOR IPO ÚLTIMO VALOR VARIAÇÃO
26/01/2021 HBR Realty (HBRE3) R$ 19,10 R$ 16,30 -14,66%
29/01/2021 Vamos (VAMO3) R$ 26,00 R$ 41,39 +59,19%
01/02/2021 Espaçolaser (ESPA3) R$ 17,90 R$ 16,50 -7,82%
04/02/2021 Intelbras (INTB3) R$ 15,75 R$ 22,35 +41,90%
05/02/2021 Mosaico (MOSI3) R$ 19,80 R$ 19,92 +0,61%
05/02/2021 Mobly (MBLY3) R$ 21,00 R$ 21,92 +4,38%
08/02/2021 Jalles Machado (JALL3) R$ 8,30 R$ 8,74 +5,30%
08/02/2021 Focus Energia (POWE3) R$ 18,02 R$ 14,78 -17,98%
10/02/2021 Bemobi (BMOB3) R$ 22,00 R$ 19,79 -10,04%
11/02/2021 Cruzeiro do Sul (CSED3) R$ 14,00 R$ 11,81 -15,64%
11/02/2021 Westwing (WEST3) R$ 13,00 R$ 9,02 -30,61%
12/02/2021 OceanPact (OPCT3) R$ 11,15 R$ 7,97 -28,52%
17/02/2021 Orizon (ORVR3) R$ 22,00 R$ 20,93 -4,86%
17/02/2021 Eletromídia (ELMD3) R$ 17,81 R$ 19,75 +10,89%
18/02/2021 CSN Mineração (CMIN3) R$ 8,50 R$ 10,57 +24,35%
12/04/2021 Allied Tecnologia (ALLD3) R$ 18,00 R$ 18,87 +4,83%
16/04/2021 Mater Dei (MATD3) R$ 17,44 R$ 16,00 -8,26%
23/04/2021 GPS Participações (GGPS3) R$ 12,00 R$ 12,61 +5,08%
29/04/2021 Boa Safra (SOJA3) R$ 9,90 R$ 15,98 +61,41%
29/04/2021 Caixa Seguridade (CXSE3) R$ 9,67 R$ 10,02 +3,62%
30/04/2021 Banco Modal (MODL11) R$ 20,00 R$ 18,40 -8,00%

Os positivos

Das 21 empresas que realizaram IPO nesses últimos quatro meses, 11 delas tiveram desempenho positivo até o momento.

Entre essas, as três melhores foram o Boa Safra (SOJA3), que realizou IPO nessa quinta-feira, 29 de abril e que só em sua estreia teve um salto positivo de mais de 50%. Nessa sexta-feira, ela já somava uma alta de 61,41% com suas ações custando R$ 15,98.

Em seguida vem a Vamos (VAMO3), cujo IPO foi lá no dia 29 de janeiro de 2021. O preço inicial de suas ações foi de R$ 26,00 e no momento do fechamento do mercado nessa sexta-feira, 30, elas estavam custando R$41,39, o que significa uma alta de 59,19%.

E em terceira colocação fica a Intelbras (INTB3), fabricante de produtos e soluções em Segurança, Redes e Telecomunicações. Seu IPO foi no dia 4 de fevereiro e de lá para cá suas ações tiveram uma alta de 41,90%, passando dos R$ 15,75 iniciais para R$ 22,35 no último dia de abril.

Os negativos

Na outra ponta do ranking estão as ações que tiveram os piores desempenhos desde seus IPOs até o momento.

Em antepenúltimo lugar está Focus Energia (POWE3), empresa fundada em 2015 e que teve sua estreia na Bolsa no dia 8 de fevereiro. Desde então, sua ações tiveram uma queda de 17,98%. Inicialmente elas valiam R$ 18,02 e agora estão sendo negociadas por R$ 14,78.

Em seguinda, com desempenho ainda mais negativo está a OceanPact (OPCT3) que presta serviços ambientais e logísticos marinhos e submarinos. Ela também estreou na Bolsa em fevereiro, mas nesse caso, no dia 12, quando suas ações custavam R$ 11,15. Nessa sexta-feira, 30, elas estavam valendo R$ 7,97, o que significa uma redução de 28,52%.

E a empresa que teve a menor redução entre todas foi a Westwing Comércio Varejista S.A. (WEST3) que somou 30,61% a menos no valor de seus papeis. Em 11 de fevereiro quando ocorreu a seu IPO suas ações custavam R$ 13,00 e no fim da tarde dessa sexta-feira, elas valiam apenas R$ 9,02.

Expectativa de mais IPOs em 2021

Apesar desse resultados nem sempre positivos, o fundador e diretor executivo (CEO) do Yubb, Bernardo Pascowitch, acredita que um número relevante de novas empresas ainda vão entrar na Bolsa ao longo dos oito meses restantes de 2021.

"A expectativa é que muitas novas empresas entrem na bolsa em 2021. Para o investidor, é importante fazer todas as análises para entender se o IPO é um bom momento de entrar como acionista. Tudo vai depender do momento em que a empresa está abrindo capital", declarou Pascowitch.

Desistências já superam as de 2020

Por outro lado, outra informação interessante divulgada recentemente pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM) é a de que o número de empresas que desistiram de suas ofertas públicas iniciais de ações nos quatro primeiros meses deste ano já somam 28. Ao longo de todo o ano de 2020, foram 25 cancelamentos ao total. Três a menos.

As últimas três empresas que cancelaram seus IPOs foram o Centro de Tecnologia Canavieira, o Grupo Fartura de Hortifruti e a Casa & Vídeo e algumas outras desistências ainda devem acontecer.

O Grupo BIG (antigo Walmart), por exemplo, havia feito o pedido para a realização de oferta ampla, no entanto, recentemente ele foi comprado pelo Carrefour (CRFB3), dessa forma, apesar de a operação continuar em aberto na CVM, ela não deve acontecer mais. 2021, portanto, provavelmente terá vários cancelamentos a mais do que em 2020.

E aí, sabendo disso tudo, o que você acha dos IPOs? Eles valem a pena pra você? Comente.