IPO, sigla em inglês para "Initial Public Offering" que na tradução quer dizer "Oferta Pública Inicial" de ações, é a operação necessária para que uma empresa abra capital no mercado financeiro. Após fazer IPO, a empresa passa a ter ações sendo negociadas na bolsa de valores, a B3 no caso do Brasil. Para isso, vale saber, é necessária a autorização da Comissão de Valores Mobiliários (CVM), a responsável por regular o mercado de capitais brasileiro.

Em 2020, apareceu uma verdadeira onda de IPO's. No Brasil entraram 26 novas empresas na Bolsa de Valores, segundo os registros da CVM, entre distribuições primárias e secundárias, elas movimentaram mais de R$ 100 bilhões.

E essa onda ameaçou inundar o ano de 2021, pois a CVM deu autorização para 36 IPO's acontecerem - e assim a Bolsa de Valores de São Paulo (B3) recebeu mais empresas. A lista de ofertas em análise oscilou nos últimos meses.

Além do IPO, existem outras formas para que as empresas consigam entrar para a bolsa de valores, sendo a oferta restrita - que, diferente do IPO, são fechadas a investidores profissionais - e a estreia direta após reorganização societária.

Em 2021, seis empresas entraram para a B3 após conclusão de ofertas restritas, e duas fizeram estreias diretas.

Desta forma, 44 novas empresas entraram para a B3 em 2021, segundo nossos cálculos. Veja abaixo quais são as novatas e confira também a lista com 11 ofertas públicas previstas e em análise na CVM, bem como com aquelas que foram interrompidas ou canceladas:

Empresas que fizeram IPO e estrearam na B3 em 2021

Como dito acima, foram concluídos 36 IPO's no Brasil até o momento. Segundo a CVM, o volume já levantado nas distribuições primária e secundária foi de R$ 66,2 bilhões. Veja abaixo quais são as novas empresas da Bolsa de Valores (B3) em 2021:

IPO's feitos em 2021
Empresa Ação Estreia na B3
HBR Realty HBRE3 26 de janeiro
Grupo Vamos VAMO3 29 de janeiro
MPM Corpóreos (Espaçolaser) ESPA3 1º de fevereiro
Intelbras INTB3 4 de fevereiro
Mosaico MOSI3 5 de fevereiro
Mobly MBLY3 5 de fevereiro
Jalles Machado JALL3 8 de fevereiro
Focus Energia POWE3 8 de fevereiro
Bemobi Mobile Tech BMOB3 10 de fevereiro
Cruzeiro do Sul Educacional CSED3 11 de fevereiro
Westwing WEST3 11 de fevereiro
Oceanpact Serviços Marítmos OPCT3 12 de fevereiro
Orizon Valorização de Resíduos ORVR3 17 de fevereiro
Eletromidia ELMD3 17 de fevereiro
CSN Mineração CMIN3 18 de fevereiro
Hospital Mater Dei MATD3 16 de abril
Blau Farmacêutica BLAU3 09 de abril
GPS Participações e Empreendimentos GGPS3 26 de abril
Caixa Seguridade CXSE3 29 de abril
Boa Safra Sementes SOJA3 29 de abril
Petrorecôncavo RECV3 05 de maio
Getninjas NINJ3 17 de maio
Dotz DOTZ3 31 de maio
Smart Fit SMFT3 14 de julho
Companhia Brasileira de Alumínio - CBA CBAV3 15 de julho
Desktop DESK3 21 de julho
Multilaser MLAS3 22 de julho
AgroGalaxy AGXY3 26 de julho
Unifique FIQE3 27 de julho
TC Traders TRAD3 28 de julho
Armac ARML3 28 de julho
Brisanet BRIT3 29 de julho
Clear Sale CLSA3 30 de julho
Raízen RAIZ4 5 de agosto
Viveo VVEO3 9 de agosto
Oncoclínicas do Brasil ONCO3 10 de agosto
Fontes: CVM, Poupar Dinheiro.

Além disso, em 18 de outubro houve uma estreia na B3, tratando-se da empresa de maquininhas Getnet que até tinha intenção de realizar IPO, mas acabou fazendo uma abertura direta na bolsa de valores, após uma cisão com o Banco Santander, seu controlador. Desta forma, a Getnet foi listada no segmento tradicional da B3 com as ações GETT3 e GETT4, bem como com as units GETT11.

Além da Getnet, outra empresa passou por reorganização societária e estreou na B3 em outubro de 2021, sendo a antiga Wilson Sons Limited que foi incorporada por sua controladora, a Wilson Sons Holdings Brasil. Após a operação a nova Wilson Sons aderiu ao segmento Novo Mercado e entrou para a B3 em 25 de outubro com a ação PORT3.

Estreia na B3 após reorganização societária
Empresa Ações/Units Estreia na B3
Getnet GETT3, GETT4 e GETT11 18 de outubro
Wilson Sons PORT3 25 de outubro

O IPO bilionário do Nubank

Não poderíamos fechar esta matéria sem a menção do IPO do Nubank, que agitou o mercado nas últimas semanas. Com captação inicial de R$ 14,5 bilhões, o banco digital fez um IPO duplo em dezembro, listando ações na Bolsa de Valores de Nova York, a NYSE, sob o código NU e deixando Brazilian Depositary Receipts (BDR's) na Bolsa de Valores de São Paulo (B3), com o código NUBR33.

A estreia do Nubank na Nyse e na B3 ocorreu em 9 de dezembro e o banco digital foi recebido com otimismo que fez os papéis dispararem nas bolsas. Após a operação, com a captação bilionária, o Nubank tornou-se o maior banco da América Latina, agora avaliado em mais de US$ 41,5 bilhões, batendo de frente e ultrapassando o valor de mercado de instituições tradicionais, como Itaú e Santander.

Apesar da abertura de capital em si ter sido focada no mercado norte-americano, o IPO captou quase R$ 342,5 milhões com a oferta brasileira, que consistiu em negociação inicial do BDR NUBR33 - precificado a R$ 8,36 na operação.

Ofertas restritas em 2021

Além de IPO, existe uma outra forma de ingressar na Bolsa de Valores, sendo a chamada oferta restrita de ações, que não conta com venda de papéis para investidores em geral (oferta de varejo), sendo destinada apenas a investidores aptos.

Acontece que em 2021 algumas empresas que haviam protocolado pedido de IPO junto à Comissão de Valores Mobiliários acabaram desistindo dos planos iniciais e depois migrando para uma oferta restrita para ir à B3. Veja abaixo quais são:

Ofertas Restritas de 2021
Empresa Estreia na B3
Infracommerce CXAAS (IFCM3) 4 de maio
Três Tentos Agroindustrial (TTEN3) 12 de julho
Livetech da Bahia Indústria e Comércio (LVTC3) 26 de julho
Agrogalaxy Participações (AGXY3) 26 de julho
Kora Saúde (KRSA3) 13 de agosto
Vittia Fertilizantes e Biológicos (VITT3) 02 de setembro

IPO's previstos em 2021 - em análise na CVM

A CVM tem agora uma lista com 11 empresas interessadas em realizar IPO, cujos pedidos estão devidamente protocolados até a atualização desta matéria, em análise.

Em outubro, houve andamento no IPO da empresa ESG - controlada da Ambipar -, mas a oferta foi interrompida no dia 7 do mesmo mês. Já a companhia elétrica Comerc Energia anunciou desistência de ir à B3.

O cenário de desvalorização da bolsa de valores brasileira nos últimos meses parece ter esfriado a realização de IPO em 2021. No terceiro trimestre do ano, o Ibovespa caiu mais de 12%, enquanto que a maioria das ações estreantes no mercado financeiro registram queda. A política fragilizada e os juros altos contribuem para as incertezas no mercado de capitais.

A CVM chegou a receber mais de 30 pedidos de IPO durante 2021, mas agora a lista caiu para 11 empresas com planos de ir à B3 de pé atualmente, até a atualização desta matéria. Veja abaixo quais são:

Oferta Pública Inicial (IPO) 2021
Empresa Pedido de IPO iniciado em Situação da oferta
Invest Tech 17/05/2021 Em análise
CSN Cimentos 17/05/2021 Retomada/Em análise
Trocafone 02/06/2021 Retomada/Em análise
Coty Brasil Comércio 25/08/2021 Em análise
Captalys Companhia de Crédito 10/09/2021 Em análise
Superbid - SBPAR Participações 18/10/2021 Em análise
Holding Verzani & Sandrini 19/10/2021 Em análise
Cantu Store 21/10/2021 Em análise
Companhia Riograndense de Saneamento - Corsan 09/12/2021 Em análise
Tecidos e Armarinhos Miguel Bartolomeu - Tambasa 10/12/2021 Em análise
Self It Academias Holding 13/12/2021 Em análise
Fontes: CVM/Poupar Dinheiro.

Em outubro, a Conasa Infraestrutura - que antes havia interrompido seu IPO - desistiu da operação. Por sua vez, a Lupo também cancelou sua oferta, segundo os atuais dados da CVM. Saiba quem mais congelou IPO abaixo:

IPO's interrompidos e cancelados em 2021

Desde 2020, algumas empresas têm visto condições desfavoráveis no mercado de capitais para a realização de um IPO. Nestes casos, ocorre o pedido de interrupção da oferta junto à CVM, ou mesmo de desistência da oferta pública.

Por exemplo, duas empresas - Althaia Farmacêutica e Bluefit Academias - agitaram o mercado brasileiro com IPO's que chegaram na fase de realização de reservas de ações junto a investidores, mas ambas operações foram interrompidas. Além disso, a ESG, holding da Ambipar (AMBP3), e a CSN Cimentos, empresa do Grupo CSN (CSNA3), também estão com ofertas pausadas. Por sua vez, a Comerc Energia optou pela desistência de IPO.

Em novembro, a empresa de galpões logísticos Tópico, que estava com sua oferta interrompida até o dia 11 desse mês, desistiu da operação. Segundo os registros da CVM, a lista de IPO's interrompidos e cancelados em 2021 é longa, veja abaixo:

IPOs interrompidos ou cancelados em 2021
Empresa Motivo
Alphaville Desistência
Incorporadora CFL Desistência
Grupo Big Brasil Desistência
Grupo Fartura de Hortifrut Desistência
Uni.Co Desistência
Oleoplan Desistência
Método engenharia Desistência
Cortel Holding Desistência
Guararapes Painéis Desistência
Farmácia e Drogaria Nissei Desistência
Emccamp Residencial Desistência
Paschoalotto Serviços Financeiros Desistência
Estok Comércio e Representações Desistência
Grupo MPR Participações Desistência
Ez Inc Incorporações Comerciais Desistência
Oceana Offshore Desistência
Nortis Incorporadora e Construtora Desistência
Canopus Holding Indeferida
Emccamp Residencial Desistência
Farmácia e Drogaria Nissei Desistência
Granbio Investimentos Indeferida
Açu Petróleo Desistência
Kalunga Desistência
W2W E-commerce de Vinhos Desistência
Urba Desenvolvimento Urbano Desistência
Yuny Incorporadora Holding Desistência
Kallas Incorporações E Construções Desistência
Infracommerce Cxaas Desistência, mas fez oferta restrita
Método Engenharia Desistência
BBM Logística Indeferida
CTC - Centro de Tecnologia Canavieira Desistência
Vittia Fertilizantes e Biológicos Desistência
Casa & Vídeo Brasil Desistência
CM Hospitalar (Viveo) Desistência, mas fez oferta restrita
Nova Harmonia Desistência
Tegra Incorporadora Desistência
Librelato Desistência
Rio Alto Energias Renováveis Desistência
Ubook Editoria Desistência
LG Informática Desistência
Igua Saneamento Desistência
Hospital Care caledonia Desistência
Bionexo Desistência
Kora saúde Desistência, mas fez oferta restrita
Laboratório Teuto Brasileiro Desistência
Hospital Care Caledonia Desistência
Entalpia Participações Desistência
CDF Assistência E Suporte Digital Indeferida
Intercement Brasil Desistência
Privalia Brasil (oferta restrita) Desistência
Nadir Figueiredo Desistência
Athena Saúde Brasil Desistência
São Salvador Alimentos Desistência
Rio Branco Alimentos Desistência
Rio Energy Participações Desistência
Althaia Indústria Farmacêutica (ALTF3) Interrompida até 16/12/2021
Bluefit Academias (BFFT3) Interrompida até 24/12/2021
Madero Interrompida até 24/12/2021
Interplayers Soluções Integradas Interrompida até 21/01/2022
Ammo Varejo Interrompida até 26/01/2022
Monte Rodovias Interrompida até 06/01/2022
Dori Alimentos Interrompida até 06/01/2022
Environmental ESG Participações(EESG3) Interrompida até 06/01/2022
Vero Interrompida até 07/01/2022
Fulwood Interrompida até 11/01/2022
Cencosud Brasil Comercial Interrompida até 18/01/2022
Claranet Technology Interrompida até 19/01/2022
ISH TECH Interrompida até 19/01/2022
Datora Participações e Serviços Interrompida até 31/01/2022
Cerradinho Bioenergia Interrompida até 02/02/2022
Vix Logística Interrompida até 15/02/2022
BMRV Participações (RV Digital) Interrompida até 24/02/2022
JFL Holding Interrompida até 25/02/2022
Comerc Energia (COMR3) Desistência
Lupo Desistência
Conasa Infraestrutura Desistência
Unigel Desistência
Hortigil Hortifruti Desistência
Humberg Agribrasil Desistência
Tópico Galpões Desistência
Fontes: CVM/Pesquisa Poupar Dinheiro.

E então, o que você acha da situação dos IPO's no Brasil em 2021? Nós do Poupar Dinheiro estamos atualizando esta matéria sobre as ofertas concluídas e previstas de forma constante; para facilitar o acesso ao conteúdo, adicione a página em seus sites favoritos e/ou entre no nosso novo canal no Telegram para receber novidades!