IPO, sigla em inglês para oferta pública inicial de ações, é a operação necessária para que uma empresa abra capital no mercado financeiro. Após fazer IPO, a empresa será listada na bolsa de valores, a B3 no caso do Brasil, e passará a ter ações sendo negociadas. Para isso, vale saber, é necessária a autorização da Comissão de Valores Mobiliários (CVM), a responsável por regular o mercado brasileiro.

Em 2020, apareceu uma verdadeira onda de IPO's. No Brasil entraram 26 novas empresas na bolsa de valores, segundo os registros da CVM, entre distribuições primárias e secundárias, elas geraram um volume de R$ 73,5 bilhões.

E essa onda ameaça inundar o ano de 2021, pois a CVM já deu autorização para 13 ofertas acontecerem (veja abaixo quais são) e ainda há uma lista com 43 empresas esperando autorização para fazer IPO.

Empresas que fizeram IPO em 2021

Ao todo, foram feitos 13 IPO's até este momento. Segundo a CVM, o volume levantado nas distribuições primária e secundária foi de R$ 19,2 bilhões. Veja abaixo quais empresas abriram capital em 2021 e logo mais as principais informações de cada IPO.

IPO's feitos em 2021
Empresa Ação Estreia na B3
MPM Corpóreos (Espaçolaser) ESPA3 1º de fevereiro
Intelbras INTB3 4 de fevereiro
Mosaico MOSI3 5 de fevereiro
Mobly MBLY3 5 de fevereiro
Jalles Machado JALL3 8 de fevereiro
Focus Energia POWE3 8 de fevereiro
Bemobi Mobile Tech BMOB3 10 de fevereiro
Cruzeiro do Sul Educacional CSED3 11 de fevereiro
Westwing WEST3 11 de fevereiro
Oceanpact Serviços Marítmos OPCT3 12 de fevereiro
Orizon Valorização de Resíduos ORVR3 17 de fevereiro
Eletromidia ELMD3 17 de fevereiro
CSN Mineração CMIN3 18 de fevereiro
Fontes: CVM, Poupar Dinheiro.

1. IPO da MPM Corpóreos (Espaçolaser - ESPA3)

A MPM Corpóreos, dona da rede de clínicas de depilação Espaçolaser, fez o primeiro IPO de 2021, em janeiro - estreando na bolsa de valores brasileira (B3) em 1º de fevereiro. Com cada papel a R$ 17,90, o IPO movimentou R$ 2,3 bilhões. As ações ESPA3 estão em uma queda acumulada de 25% desde a estreia na B3.

2. IPO da Intelbras (INTB3)

A Intelbras, empresa de serviços de segurança, redes, comunicação e energia, estreou na bolsa de valores brasileira (B3) em 4 de fevereiro deste ano. O IPO movimentou cerca de R$ 1,3 bilhão ao todo com cada ação a R$ 15,75. Desde o início das negociações, a INTB3 vê uma alta de 3% em 2021.

3. IPO da Mosaico (MOSI3)

A Mosaico agitou o mercado. Com cada ação a R$ 19,80 (o topo da faixa indicativa), a distribuição primária e secundária do IPO movimentou R$ 1,2 bilhão. O otimismo com a empresa foi claro nos primeiros pregões, visto que as ações chegaram a saltar quase 97% na estreia em 5 de fevereiro. Entretanto, a MOSI3 mostra atualmente uma queda acumulada na casa de 50%.

4. IPO de Mobly (MBLY3)

A Mobly também estreou na B3 em 5 de fevereiro deste ano. Precificando cada ação a R$ 21, o IPO da empresa levantou quase R$ 812 milhões. Desde então, as ações entraram numa baixa de 16%, até o dia 31 de março. A Mobly é uma empresa brasileira que opera no ramo de comércio eletrônico com foco em móveis e decoração.

5. Jalles Machado (JALL3)

A Jalles Machado é uma das principais produtoras de açúcar e etanol do Brasil. A empresa entrou para a B3 em 8 de fevereiro após realizar um IPO de R$ 641,5 milhões com preço por ação de R$ 8,30. Mas, atualmente, as ações se encontaram cotadas a R$ 7,84 com baixa acumulada de 13% em 2021.

6. Focus Energia (POWE3)

A Focus Energia também abriu capital em 8 de fevereiro deste ano. A ação da empresa estreou na B3 precificada a R$ 18,02 - abaixo da faixa indicativa de R$ 21,20 a R$ 28,60 - e o IPO movimentou R$ 772,6 milhões. Até o pregão de 31 de março, a POWE3 mostrava uma baixa de 5%.

7. IPO da Bemobi Mobile Tech (BMOB3)

A Bemobi, empresa de distribuição e venda de aplicativos, jogos e serviços digitais, estreou na B3 em 10 de fevereiro após realizar um IPO de R$ 1 bilhão. Ficando dentro da faixa indicativa de R$ 17,60 a R$ 23,10, cada ação foi precificada a R$ 22. Atualmente, as ações registram uma queda na casa de 13%.

8. IPO da Cruzeiro do Sul Educacional (CSED3)

A Cruzeiro do Sul Educacional trouxe ao mercado um IPO de R$ 1 bilhão com suas ações sendo precificadas a R$ 14, abaixo das expectativas. Até a edição desta matéria, as ações mostravam queda de 7% desde a estreia na B3 em 11 de fevereiro. A empresa opera no setor de educação com um conglomerado de instituições de ensino privadas, principalmente colégios.

9. Westwing Comércio Varejista (WEST3)

A plataforma de e-commerce Westwing também fez IPO em 11 de fevereiro, movimentando R$ 1 bilhão com as ofertas primária e secundária. Cada ação foi precificada a R$ 13, dentro da faixa indicativa que ia de R$ 10,50 a R$ 13,60. Em 31 de março, a WEST3 estava cotada a R$ 9,17.

10. OceanPact Serviços Marítmos (OPCT3)

A OceanPact, uma das principais prestadoras de serviços em ambiente marinho do Brasil, chegou à B3 em 12 de fevereiro deste ano com ação precificada a R$ 11,15, o teto da faixa indicativa traçada para a oferta, com o IPO movimentando R$ 1 bilhão. Até as negociações de 31 de março, a OPCT3 valia R$ 8,90.

11. Orizon Valorização de Resíduos (ORVR3)

A Orizon, empresa que converte lixo em matéria-prima e energia, fez IPO em 17 de fevereiro deste ano, levantando R$ 553,9 milhões com as ofertas primária e secundária. A ação estreou na B3 aos R$ 22. Apesar de registrar certa perda desde a estreia, a ORVR3 disparou 6% para R$ 21,13 no fim de 31 de março, após a empresa divulgar bons resultados trimestrais.

12. Eletromidia (ELMD3)

A Eletromidia, empresa do segmento publicidade e propaganda, precificou cada ação a R$ 17,81 para a estreia na B3, em 17 de fevereiro deste ano. Ao todo, o IPO levantou quase R$ 758 milhões com a oferta primária e secundária. Até 31 de março, a ELMD3 teve uma queda de 8% em 2021.

13. CSN Mineração (CMIN3)

Até agora, a CSN Mineração fez a maior abertura de capital do ano. Segundo o documento enviado à CVM, o IPO movimentou R$ 4,5 bilhões, sem considerar a negociação das ações suplementares. Cada papel saiu a R$ 8,50, o piso da faixa indicativa, e a estreia aconteceu em 18 de fevereiro deste ano. Atualmente, o papel vê uma alta na casa de 2%.

Pedidos de IPO em análise na CVM

A CVM ainda tem uma lista com 43 empresas interessadas em realizar IPO em 2021, cujos pedidos estão devidamente protocolados. Entretanto, 11 solicitações encontram-se interrompidas temporariamente, veja abaixo quais são:

IPO's interrompidos

Empresa IPO interrompido até
Alphaville 08/02/2021 - sem atualização
Incorporadora CFL 22/03/2021 - sem atualização
Grupo BIG Brasil 17/05/2021
Grupo Fartura de Hortifrut 20/04/2021
UNI.CO 20/04/2021
Oleoplan 20/04/2021
Método Engenharia 21/05/2021
Cortel Holding 18/06/2021
Guararapes Painéis 21/06/2021
Igua Saneamento 01/07/2021
LG Informática 01/07/2021
Fonte: CVM.

Desta forma, os pedidos de IPO's que estão atualmente tramitando na CVM somam 32. É importante destacar que alguns deles encontram-se em estágio avançado.

IPO's previstos em 2021

Empresa Pedido de IPO iniciado em Situação
Boa Safra Sementes 22/10/2020 Em período de reserva
CTC - Centro de Tecnologia Canavieira 22/10/2020 Em análise
Vittia Fertilizantes e Biológicos 17/11/2020 Em análise
Casa & Vídeo Brasil 22/01/2021 Em análise
CM Hospitalar (Viveo) 03/02/2021 Em período de reserva
Nadir Figueiredo 05/02/2021 Em análise
Blau Farmacêutica 05/02/2021 Em período de reserva
Nova Harmonia 10/02/2021 Em análise
Privalia Brasil 17/02/2021 Em análise
Hospital Mater Dei 12/02/2021 Em período de reserva
Entalpia Participações 18/02/2021 Em análise
Hospital Care Caledonia 18/02/2021 Em período de reserva
Laboratório Teuto Brasileiro 19/02/2021 Em análise
Três Tentos Agroindustrial 19/02/2021 Em análise
Dotz 22/02/2021 Em análise
GPS Participações e Empreendimentos 22/02/2021 Em período de reserva
Livetech da Bahia Indústria e Comércio 22/02/2021 Em análise
São Salvador Alimentos Participações 23/02/2021 Em análise
Kora Saúde 25/02/2021 Em período de reserva
Tegra Incorporadora 26/02/2021 Em análise
Librelato SA 25/02/2021 Em análise
Rio Branco Alimentos 26/02/2021 Em análise
Getninjas 26/02/2021 Em análise
PetroRecôncavo 26/02/2021 Período de reserva abre em 19 de abril
Bionexo 01/03/2021 Em análise
Grupo Avenida 01/03/2021 Em análise
Infracommerce CXAAS 01/03/2021 Em período de reserva
Rio Alto Energias Renováveis 01/03/2021 Em período de reserva
Rio Energy Participações 03/03/2021 Em análise
Athena Saúde Brasil 10/03/2021 Em análise
Ubook Editoria 12/03/2021 Em análise
CDF Assistência e Suporte Digital 16/03/2021 Em análise
Fonte: CVM.