No ano de 2020, a taxa Selic chegou a atingir uma mínima histórica de 2% ao ano, e isso tornou quase impossível imaginar que ela voltaria a atingir mais de 8,5%. Porém, passado cerca de um ano, essa realidade pode estar próxima de acontecer, o que poderá afetar aqueles que guardam dinheiro na conta poupança.

Em outubro de 2021, a taxa Selic foi de 6,25% para 7,5% ao ano. O Copom (Comitê de Política Monetária do Banco Central), prevê para sua próxima reunião, que será nos dias 7 e 8 de dezembro, a Taxa Selic ultrapasse os 8,5%, o que não acontecia desde julho de 2017.

Só que, quando a taxa Selic ultrapassar os 8,5% ao ano, a regra de rendimento da poupança irá mudar, fazendo com que a vida de milhões de brasileiros que utilizam a caderneta de poupança mude. Entenda melhor abaixo.


Com a Selic acima de 8,5%, como fica a poupança?

Aumento da Taxa Selic

Quando a Selic estiver acima dos 8,5%, o rendimento da poupança ficará menos vantajoso. Isso acontece com os investimentos de renda fixa e as contas que crescem a 100% do CDI. Isso tudo porque os juros da poupança são calculados pelas seguintes regras:

  • Caso a Taxa Selic estiver igual ou menor que 8,5% a.a., o rendimento da poupança é de 70% da Selic + Taxa Referencial;
  • Caso a Taxa Selic esteja acima de 8,5% a.a., o rendimento da poupança é de 0,5% ao mês sobre o valor depositado + Taxa Referencial.

Como há algum tempo a Taxa Referencial está se mantendo em zero ou muito próxima disso, o rendimento da poupança se resume aos outros fatores.

Assim como a maioria dos investimentos de renda fixa, como o Tesouro Direto e outros que têm como base o CDI, quando alguém investe na poupança, seu rendimento terá garantia de que seu dinheiro acompanhará a variação da taxa básica de juros da economia brasileira.

Por outro lado, quando o rendimento está fixado, a poupança começa a ficar menos interessante conforme o aumento da Selic, pois os outros investimentos rendem mais comparado a caderneta.

Vamos entender melhor como fica a comparação da Taxa Selic, o rendimento da poupança e o rendimento de 100% do CDI.

Tabela de comparação

  • Taxa Selic a 8,5%:
    Rendimento poupança: 5,95% ao ano (0,48% mensal) Rendimento 100% CDI: 8,4% ao ano (0,67 mensal);
  • Taxa Selic a 8,75%:
    Rendimento poupança: 6,17% ao ano (0,50% mensal);
    Rendimento 100% CDI: 8,65% ao ano (0,69% mensal);
  • Taxa Selic a 9%:
    Rendimento poupança: 6,17% ao ano (0,50% mensal);
    Rendimento 100% CDI: 8,9% ao ano (0,71% mensal);
  • Taxa Selic a 9%:
    Rendimento poupança: 6,17% ao ano (0,50% mensal);
    Rendimento 100% CDI: 8,9% ao ano (0,71% mensal);
  • Taxa Selic a 9,25%:
    Rendimento poupança: 6,17% ao ano (0,50% mensal);
    Rendimento 100% CDI: 9,15% ao ano (0,73% mensal);
  • Taxa Selic a 9,75%:
    Rendimento poupança: 6,17% ao ano (0,50% mensal);
    Rendimento 100% CDI: 9,65% ao ano (0,77% mensal);
  • Taxa Selic a 10%:
    Rendimento poupança: 6,17% ao ano (0,50% mensal);
    Rendimento 100% CDI: 9,9% ao ano (0,79% mensal).

Nota-se que o rendimento da poupança fixa em 0,5% mensal quando a Taxa Selic fica acima de 8,5% ao mês, fazendo com que o investidor ganhe menos do que se o rendimento variasse com a taxa.

Outro fator a se considerar é a inflação. O mercado financeiro prevê que ela feche 2021 em 9,33%, o que faz o dinheiro perder mais valor, já que no começo do ano era possível comprar mais itens com o mesmo valor.

Quais são essas alternativas à poupança?

O investidor pode estar buscando outras alternativas de renda fixa que acompanhem a variação da Taxa Selic como CDBs, títulos do Tesouro Direto e as contas atreladas ao rendimento do CDI, como por exemplo a conta do Nubank.

Essas alternativas fazem com que o dinheiro continue rendendo mais de acordo com o aumento da Selic, diferente da poupança.