Os brasileiros estão cada vez mais entrando no mundo dos investimentos, seja em renda variável (mercado de ações), seja em renda fixa, que é o caso do Tesouro Direto. Inclusive, o Tesouro Direto vem chamando a atenção por ser mais rentável que a poupança já há algum tempo.

Assim, esse tipo de renda fixa se tornou o preferido de investidores que não querem correr riscos e preferem investir seu dinheiro com segurança e boa rentabilidade. Neste artigo você vai entender o que é o Tesouro Direto e se vale a pena investir, além é claro, das taxas cobradas e como investir.

O que é o Tesouro Direto?

Para quem não sabe, o Tesouro Direto é um título público emitido pelo Tesouro Nacional e funciona como um tipo de empréstimo. É possível emprestar o seu dinheiro ao governo federal através de um investimento no Tesouro Direto. Depois, você recebe o valor investido com juros na data de vencimento, que é definida quando você faz a compra do título. A remuneração pode ser prefixada, pós-fixada ou híbrida.

Por ser emitido pelo governo federal, este tipo de investimento possui riscos baixíssimos. A partir de R$ 30, já é possível começar a investir nesta renda fixa. Bom, né?

Quanto está rendendo o Tesouro Direto hoje?

Depende. Há várias modalidades de investimento no Tesouro Direto: Pré-fixado, Pós-fixado e indexados à Selic. As taxas chegam a 8,97% a.a no pré-fixado 2031.

Primeiro é preciso entender que os títulos do Tesouro Direto são atrelados à inflação e à Taxa Selic (Taxa básica de juros). Sendo assim, com a Taxa Selic ainda baixa, mas com a inflação saindo do controle, o rendimento do Tesouro Direto deve subir em breve. Para se ter uma ideia, os juros da Taxa Selic estão em 3,50% ao ano, assim, o rendimento do Tesouro Selic (Uma das modalidades do Tesouro Direto), fica sempre próximo disso.

No cenário atual, os investimentos de renda fixa tendem a render menos, pois, os juros ainda estão baixos. Mas mesmo assim, tudo vai depender do objetivo de quem está investindo. Para iniciantes que procuram investimentos mais seguros, o Tesouro Direto pode ser uma ótima opção, visto que a curva de juros deve subir nos próximos anos.

Modalidades do Tesouro Direto

Antes de investir o dinheiro, é preciso conhecer todas as modalidades que fazem parte deste programa. Assim, será mais fácil encontrar a que mais se assemelha aos seus objetivos de investimento. Devemos salientar ainda que ao investir nesta renda fixa, você estará contribuindo para o país, pois, os recursos captados são injetados para o financiamento de áreas como educação, infraestrutura e saúde. Mais abaixo você confere cada uma das modalidades disponíveis.

Tesouro Prefixado

Esta modalidade é dividida em dois títulos, o Tesouro Prefixado e o Tesouro Prefixado com Juros Semestrais. A taxa de rentabilidade atual desta modalidade varia de 7,9% a 8,97% ao ano, dependendo do período.

Desta forma, esses rendimento é garantido ao investidor por ano, até a data do vencimento. O mais interessante é que independentemente das condições do mercado, você receberá essa mesma porcentagem, desde que fique com o título até o vencimento.

Com o Tesouro Prefixado com Juros Semestrais, ainda é possível receber os rendimentos a cada 6 meses, não precisando esperar o vencimento para fazer o resgate do capital. Assim, alguma parte do dinheiro já lhe dá retorno de forma antecipada.

Tesouro Pós-fixado, atrelado à inflação (IPCA)

O Tesouro atrelado à inflação é conhecido como Tesouro IPCA, ligado ao índice de inflação. Assim, uma parte da taxa de rentabilidade é fixa e a outra variável. Assim, o capital renderá um valor fixo e mais os juros do período futuro.

Os títulos atrelados à inflação podem ser classificados como híbridos, mas com as variações do IPCA há momentos em que você receberá mais e, em outros, menos.

De qualquer forma, tanto o Tesouro IPCA+ , como o Tesouro IPCA+ com Juros Semestrais, podem oferecer ganhos reais, pois, o investidor sempre garante ganhos acima da inflação.

Tesouro indexado à Taxa Selic

Nesta modalidade, o título é indexado à SELIC, ou seja, irá depender dessa taxa. Por ter uma grande flexibilidade, esta modalidade é uma das mais conhecidas. O retorno deste ativo será sempre equivalente à Taxa , que neste momento é de 3,50% ao ano.

Neste tipo de investimento é possível resgatar o valor investido antes do vencimento, desta forma, não há riscos de perder dinheiro. Além disso, o Tesouro indexado à Taxa Selic sempre irá render de maneira constante.

Taxas atuais do Tesouro Direto em maio de 2021

Mais abaixo, você confere a tabela atualizada com as taxas e o rendimento em cada uma das modalidades do Tesouro Direto. Entrando neste link, você também pode fazer simulações de investimentos no site do Tesouro.

Taxas do Tesouro Direto em 4 de junho de 2021. Créditos: Reprodução/Tesouro Direto
Taxas do Tesouro Direto em 4 de junho de 2021. Créditos: Reprodução/Tesouro Direto

Vale a pena investir no Tesouro Direto em 2021?

Investir no Tesouro Direto tem suas vantagens e desvantagens, como todo o investimento. Entre as vantagens, podemos citar a liquidez e a boa rentabilidade. Além disso, é baixo o risco no investimento. Mas para deixar tudo bem claro, abaixo segue as vantagens e desvantagens de investir no Tesouro Direto:

Vantagens

  • Facilidade para investir;
  • Baixo risco (até mais baixo que a poupança);
  • Liquidez diária;
  • Acessibilidade (qualquer um pode investir com R$ 30)

Desvantagens

  • Taxas e tributos;
  • Risco de Venda a Mercado. Os títulos do Tesouro não possuem carência (você vende a hora que quiser). No entanto, se você vender antes do prazo de vencimento do título, pode ter a rentabilidade menor que a contratada, dependendo da taxa negociada no dia. O contrário também é válido, se você contratar a uma taxa de juros alta e a taxa cair, seus ganhos também aumentam.

Então, gostou do artigo? Compartilhe nas redes sociais!