A consultoria britânica chamada Newmark realizou uma pesquisa que aponta que, até o ano de 2025, serão 100 mil novos milionários brasileiros, e ainda que 481 mil pessoas alcançarão o patrimônio superior a US$ 1 milhão. Já pensou se fosse você uma dessas pessoas? E onde esses novos ricos devem aplicar esse montante?

Caso você seja um investidor com perfil conservador, que não gosta muito de assumir riscos, vamos ver aqui algumas alternativas de como investir esse R$ 1 milhão e quanto ele renderia por mês em aplicações como a poupança, por exemplo. Confira.

Quanto rende 1 milhão na poupança?

A caderneta de poupança é um dos investimentos mais populares do Brasil, porém não tem muitos adeptos do mercado financeiro. Isso ocorre porque em épocas que o período dos juros está mais baixo e a inflação mais em alta, ela acaba tendo um retorno negativo para os investidores.

Hoje a taxa selic está em 7,75% ao ano. Com base nessa taxa de juros, a poupança rende 70% da Selic + a Taxa Referencial (TR). Fazendo esse cálculo, o rendimento anual da poupança está em 5,425%.

O rendimento da poupança varia todos os anos. Com esse rendimento de 5,425% ao ano, com a aplicação de R$ 1 milhão na caderneta, o rendimento será de R$ 54.250,00 em 12 meses.

Se você está à procura de viver de rendimentos, por exemplo, você terá uma renda mensal em média de R$ 4.520,00. Isso com aquele R$ 1 milhão na conta poupança.

Mesmo sabendo que esse valor é suficiente para cobrir seu orçamento do mês, deve levar em consideração o peso da inflação para ver se realmente a poupança vale a pena.

Como calcular o rendimento na poupança?

Vamos entender o princípio. Se a taxa de juros da Selic for igual ou menor que 8,5%, a poupança será remunerada em 70% da Selic + a TR. Porém, caso a taxa de juros da Selic esteja maior que 8,5%, o cálculo da poupança será de 0,5% ao mês + a TR.

Além do mais, a poupança é isenta de Imposto de Renda (IR) para Pessoas Físicas (PF) e não há taxa de custódia.

Vale a pena investir na poupança?

Mesmo que a poupança tenha sua rentabilidade, é importante considerar as vantagens e desvantagens na hora de investir na caderneta.

Vamos ver então as vantagens:

  • liquidez imediata;
  • capital de giro em curto prazo;
  • isenção do imposto de renda.

Porém, ela também tem suas desvantagens. Vamos ver quais são:

  • rentabilidade inferior ao Tesouro Selic;
  • risco de crédito (por se tratar de um título de instituição privada, já que está coberta pelo Fundo Garantidor de Crédito-FGC);
  • A remuneração só ocorre depois do aniversário de depósito (depois de 1 mês de depósito que será remunerado).

Investimentos melhores que a poupança

Caso você não queira depender apenas do rendimento da caderneta de poupança, vamos ver outras recomendações de investimentos com liquidez diária.

Tesouro Selic

O Tesouro Selic é um título pós-fixado do Tesouro Direto, onde o investidor empresta seu dinheiro para o governo e ele paga juros sobre isso. Esse dinheiro é utilizado para financiar a dívida federal e é considerado o mais seguro do mercado financeiro.

Por ter sua liquidez diária, o Tesouro Selic é o mais indicado para quem quer fazer sua reserva de emergência, já que pode ser resgatado a qualquer momento.

Vantagens do Tesouro Selic

  • menor risco de crédito;
  • mais segurança para o investidor;
  • pode ser feito aportes no mesmo título;
  • compra e venda de títulos diariamente.

CDB pós-fixado que rende 100% do CDI

Outra opção é o Certificado de Depósito Bancário (CDB), onde rende 100% do CDI com liquidez diária. Ele é um título de crédito bancário, com a mesma intenção do Tesouro Selic que empresta o dinheiro, porém esse empréstimo é para o banco em vez do governo em troca de juros.

Vantagens do CDB

  • liquidez diária de 100% no CDI;
  • rendimento sempre positivo desde o dia da aplicação até o momento do resgate;
  • coberto pelo FGC em até R$ 250 mil por CPF e conglomerado.